O Jogo ao Vivo

Saúde

Pela primeira vez desde abril de 2020, Tanzânia atualiza casos de covid-19

Pela primeira vez desde abril de 2020, Tanzânia atualiza casos de covid-19

A Presidente da Tanzânia anunciou, esta segunda-feira, os dados sobre a covid-19 no país, naquele que foi o primeiro balanço desde abril de 2020, afirmando que se registaram 100 novos casos "desde o início da terceira vaga a nível mundial".

"Quero ser honesta: na Tanzânia temos pessoas doentes nesta terceira vaga", afirmou Samia Suluhu Hassan, numa conferência de imprensa em Dar es Salam, realizada para assinalar a conclusão dos seus primeiros 100 dias no cargo, noticia a agência Efe.

Hassan, que não especificou uma data específica para este balanço, detalhou que 70 dos 100 pacientes estão em estado crítico, "ligados a ventiladores".

As autoridades tanzanianas não publicaram quaisquer estatísticas oficias sobre a pandemia desde maio de 2020, ainda sob o mandato do anterior Presidente, John Magufuli, que nunca estabeleceu medidas sanitárias ou sociais, defendendo que o país estava protegido por intervenção divina.

Assim, o balanço oficial continuava cifrado em 509 casos e 21 mortes, fruto dos números apresentados pelas autoridades centrais em 29 de abril, e pela região semiautónoma de Zanzibar em 8 de maio.

Hassan anunciou que o país vai destinar 470 milhões de dólares (cerca de 395 milhões de euros) para adquirir vacinas e equipamento para combater a pandemia, não tendo especificado se há negociações com farmacêuticas.

PUB

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou na semana passada que esta nação africana está em vias de solicitar a entrada no programa Covax, que pretende assegurar um acesso equitativo às vacinas contra a covid-19 para os países de baixos rendimentos.

Samia Suluhu Hassan acrescentou que as vacinações no país serão voluntárias.

Hassan que se tornou a primeira mulher Presidente no país em 19 de março, após a morte súbita de Magufuli, aos 61 anos, rompeu com a abordagem negacionista do seu antecessor, tendo criado um comité composto por especialistas que recomendou o uso de vacinas e o tratamento dos infetados.

A morte de Magufuli foi anunciada em 17 de março, depois de mais de duas semanas de ausência pública. Segundo as autoridades, a morte deveu-se a problemas cardíacos, mas a oposição afirma que o Presidente contraiu covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG