Nigéria

Pelo menos 40 mortos em atentados na Nigéria

Pelo menos 40 mortos em atentados na Nigéria

Uma sucessão de atentados, este domingo, contra igrejas cristãs e instalações da polícia nigeriana provocaram, pelo menos, 40 vítimas mortais.

Um ataque em Damaturu contra instalações policiais encontra-se entre os cinco atentados atribuídos à seita islamita Boko Haram no dia de Natal. Além do suicida, "três elementos do serviço (da polícia) foram mortos", adiantou um comunicado das forças de segurança.

Estas quatro mortes juntam-se a outras dezenas, em resultado de dois atentados deste domingo contra igrejas cristãs. No total, o balanço conta já com 40 mortes confirmadas.

"É como uma guerra interna lançada contra o país", disse o ministro que tutela as forças de seguranças, Caleb Olubolade, que se deslocou ao local dos atentados para dizer que é preciso "estar à altura e combater" estes ataques.

Os atentados já foram condenados pelo Vaticano, que os considerou o resultado de um "ódio cego e absurdo", e que surgem no culminar de vários dias de confrontos entre a seita islamita Boko Haram e as forças de segurança, centralizados nos estados de Yobe e Borno, com um balanço que no sábado se admitia chegar aos cem mortos.

O ataque mais mortífero do dia de Natal aconteceu com a detonação de uma bomba no final da missa no exterior da igreja católica Santa Teresa, em Madalla, nos arredores da capital federal da Nigéria, Abuja, que matou pelo menos 27 pessoas.

Abul Qaqa, porta-voz do Boko Haram, disse por telefone à Agência France Presse que o movimento que deseja a criação de um estado islâmico na Nigéria "assume a autoria de todos os ataques dos últimos dias", incluindo o da igreja de Madalla. "Continuaremos a lançar mais ataques nos próximos dias", ameaçou.

Mais tarde, um segundo atentado atingiu a igreja evangélica Mountain of fire, em Jos, um dos locais onde tem sido mais acentuada a violência entre facções comunitárias da Nigéria, e matou pelo menos um polícia, deixando também três veículos em chamas, segundo o testemunho à France Presse do porta-voz do Governo do Estado de Plateau.

Além do atentado suicida em Damaturu, mais uma explosão foi sentida nesta cidade e na noite anterior uma outra detonou numa igreja em Gadaka, no Estado de Yobe.

A mesma seita reivindicou em Agosto deste ano o atentado contra a sede das Nações Unidas em Abuda, que matou 24 pessoas, bem como acções similares no Natal de 2010 contra igrejas cristãs.

Vários observadores admitem que a Boko Haram tem desenvolvido ligações à al-Qaeda do Magrebe

A Nigéria é, a par de Angola, o principal produtor de petróleo da África sub-saariana e o mais populoso país africano,com os seus 160 milhões de habitantes, divididos sobretudo entre muçulmanos no norte e cristãos no sul.