Investigação

Pelo menos 46 detenções em operação da Europol contra abuso infantil na Internet

Pelo menos 46 detenções em operação da Europol contra abuso infantil na Internet

Pelo menos 46 suspeitos foram detidos na Nova Zelândia e mais de 100 foram identificados na União Europeia (UE) durante uma operação internacional contra o abuso infantil na internet.

A investigação internacional da Agência da União Europeia para a Cooperação Policial concentrou-se em dezenas de milhares de contas que possuíam ou nas quais compartilhavam material de abuso sexual infantil na internet, levando à descoberta de 32 gigabytes de arquivos, memória equivalente à necessária para transmitir aproximadamente 90 minutos de vídeo.

Até agora, este caso levou à abertura de 836 casos internacionais e à proteção de 146 crianças em todo o mundo, bem como à detenção de 46 pessoas na Nova Zelândia devido ao seu suposto relacionamento com essas contas e à identificação de mais de 100 suspeitos na UE.

A investigação permitiu localizar cerca de 90 mil contas relacionadas ao abuso infantil em todo o mundo, de acordo com a Europol.

A operação, liderada pela Nova Zelândia, envolveu autoridades policiais do Reino Unido, Estados Unidos, Espanha, Austrália, Áustria, Canadá, Croácia, Grécia, Hungria, Eslovénia e República Checa, sendo coordenada pela Europol a partir de Haia, nos Países Baixos.

Em dois dos casos, na Áustria e na Hungria, os suspeitos eram criminosos que abusavam dos seus próprios filhos. Agora, as duas crianças já estão sob a proteção das autoridades dos respetivos países.

Outra investigação em Espanha descobriu que o suspeito possuía e divulgava material de exploração sexual infantil, além de filmar imagens de nudez e sexo de adultos sem o seu consentimento.

PUB

A investigação começou em 2019, após uma denúncia de um provedor de serviços de internet, que indicou que um grande número de criminosos "usou a plataforma para trocar imagens particularmente perturbadoras de abuso infantil, incluindo imagens que retratam atos sádicos de abuso sexual de bebés e crianças", afirmou a Europol.

Ainda há um grande número de investigações em andamento em toda a UE.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG