Síria

Pelo menos seis mortos na terça-feira em Deraa, na Síria

Pelo menos seis mortos na terça-feira em Deraa, na Síria

Pelo menos seis pessoas morreram na terça-feira vítimas de tiros das forças de segurança em Deraa, epicentro da contestação no Sul da Síria, declarou um activista no local.

Segundo este activista dos direitos do Homem, Abdallah Abazid, "pelo menos seis mártires morreram na terça-feira, atingidos pelos tiros das forças de segurança e da unidade 4 do exército" contra os bairros.

O activista afirmou possuir uma lista de nomes das pessoas mortas, entre as quais figura um imã de uma mesquita.

Segundo a mesma fonte "foram ouvidos tiroteios intensos" na madrugada de hoje em Deraa.

O exército sírio enviou terça-feira reforços para esta cidade e disparou sobre os habitantes, revelou o activista.

Segunda-feira, pelo menos 25 pessoas foram mortas num tiroteio intenso em Deraa, onde as forças de segurança entraram antes do amanhecer, apoiadas por tanques e blindados, indicaram activistas dos direitos do Homem.

Os militares foram chamados para reprimir a contestação contra o regime, segundo os activistas.

Mas, segundo as autoridades sírias, que acusam "grupos criminosos armados" de estarem na origem da contestação, o exército entrou em Deraa "a pedido dos habitantes" para acabar com "os grupos terroristas extremistas".

O regime do presidente Bashar al-Assad optou por uma solução militar para travar o movimento de contestação sem precedentes que agita o país há seis semanas.