EUA

Destituição avança se Trump não se demitir "imediatamente", diz Pelosi

Destituição avança se Trump não se demitir "imediatamente", diz Pelosi

A presidente da Câmara de Representantes dos EUA, a democrata ​​​​​​​Nacy Pelosi, comunicou esta sexta-feira aos congressistas dos dois partidos que vai iniciar o processo de 'impeachment' contra Donald Trump caso o presidente cessante não se demita "imediatamente".

Através de uma carta enviada a todos os membros da Câmara de Representantes, Pelosi pediu aos republicanos que demitam Trump por "atos perigoso e sediciosos" do presidente, fornecendo como exemplo as ações do Partido Republicano no final da presidência de Richard Nixon.

"Hoje, na sequência dos atos perigosos e sediciosos do Presidente, os republicanos no Congresso necessitam seguir esse exemplo e solicitar que Trump deixe o seu cargo, de forma imediata. Se o Presidente não deixar o seu posto de forma imediata e voluntária, o Congresso procederá com a nossa ação", disse Pelosi.

A crescente pressão para que o Congresso inicie o segundo processo de destituição contra Trump poucos dias antes de abandonar a Casa Branca, após a derrota as eleições presidenciais, surge num momento em que Pelosi aguarda a resposta do vice-presidente, Mike Pence, sobre se invocará a 25.ª emenda da Constituição norte-americana para afastar o presidente do cargo.

Pelosi também informou os membros democratas na Câmara de Representantes que o novo processo de destituição contra Trump tem mais apoio no partido que o primeiro processo, realizado no início de 2020.

PUB

Na ocasião, os democratas processaram Trump pelas pressões que exerceu sobre o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, para que investigasse Joe Biden com o objetivo de dificultar as suas aspirações presidenciais.

O processo político contra Trump fracassou no senado, onde os republicanos tinham a maioria até quarta-feira e na sequência da vitória dos dois candidatos democratas nas eleições para o Senado no estado da Geórgia.

Pelosi, bem como o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, já na quinta-feira tinham anunciado que iriam pedir ao vice-presidente, Mike Pence, para invocar a 25.ª emenda da Constituição, que permite retirar poderes ao Presidente por incapacidade de exercício de funções.

Se Trump for removido do cargo por destituição ficará impedido de concorrer novamente à Casa Branca.

No caso de ser alvo de um julgamento de destituição, será o único Presidente dos Estados Unidos, até agora, a ter sido alvo de dois processos desse género.

O republicano Donald Trump perdeu as eleições presidenciais de 3 de novembro para o seu rival democrata, Joe Biden, que deve tomar posse como 46.º presidente dos EUA em 20 de janeiro.

Só esta semana Trump assumiu a derrota e, na quinta-feira, prometeu pela primeira vez uma transição de poder pacífica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG