O Jogo ao Vivo

Mundo

Petroleiro atacado ao largo de Omã já navega sob controlo da tripulação

Petroleiro atacado ao largo de Omã já navega sob controlo da tripulação

O petroleiro, cujo ataque ao largo de Omã provocou duas mortes, está já a navegar sob controlo da tripulação, escoltado pela marinha dos Estados Unidos, anunciou o armador, Zodiac Maritime.

"Podemos agora confirmar que o 'M/T Mercer Street' está a navegar sob o controlo da sua tripulação, com a sua própria força, a uma velocidade de 14 nós (25 quilómetros por hora), em segurança e sob uma escolta naval dos Estados Unidos", informou na rede social Twitter a Zodiac Maritime, empresa internacional com sede em Londres.

Especialistas em segurança levantaram a hipótese de o ataque ter origem iraniana, já que ocorreu numa área estratégica onde navios israelitas foram alvejados, no passado.

De acordo com o 'site' das operações de comércio marítimo da marinha britânica (UKMTO), o ataque ocorreu quando o petroleiro se deslocava a cerca de 152 milhas náuticas (280 quilómetros) da costa de Omã.

Um porta-voz do Ministério da Defesa britânico já confirmou que está a decorrer uma investigação, depois de ter anunciado que há "suspeitas de pirataria" a bordo do "M/T Mercer Street".

O proprietário do navio é japonês e a embarcação é gerida pela base britânica da Zodiac Maritime, que pertence ao empresário israelita Eyal Ofer, um dos homens mais ricos do planeta, segundo a revista Forbes.

O incidente com este navio mercante israelita ocorre quando há um aumento das tensões sobre o acordo nuclear do Irão e as negociações para restaurar este pacto estão paralisadas em Viena.

PUB

Desde que o então Presidente norte-americano, Donald Trump, retirou unilateralmente os Estados Unidos do acordo em 2018, tem havido nesta região uma série de ataques a navios.

Outros navios israelitas também foram alvejados nos últimos meses no meio da tensão entre as duas nações, com autoridades israelitas a culpar o Irão pelos ataques.

Os meios de comunicação iranianos não divulgaram, até ao momento, qualquer notícia sobre este incidente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG