Kenosha

Polícia dispara sete tiros pelas costas contra homem negro nos EUA

Polícia dispara sete tiros pelas costas contra homem negro nos EUA


Um homem negro foi baleado sete vezes pelas costas por um polícia de Kenosha, no estado do Wisconsin, nos EUA. Vídeo do momento espalhou-se pelas redes sociais e motivou protestos, que levaram à imposição de recolher obrigatório de emergência.

O vídeo mostra um homem negro, identificado como Jacob Blake, a dirigir-se para o carro, seguido por dois polícias de arma em punho. Quando entra na viatura, ouvem-se os tiros: sete, seguidos, disparados pelas costas da vítima.

Um advogado de direitos civis, Ben Crump, disse a um canal local de televisão que Blake foi baleado pelas costas em frente aos três filhos, que estariam dentro do carro quando os disparos foram efetuados, pelas 17 horas de domingo (cerca da uma hora da madrugada em Portugal continental).

"Viram um polícia a disparar contra o pai. Ficarão traumatizados para toda a vida", afirmou o advogado através de uma mensagem publicada na rede social Twitter. A vítima estava a tentar apaziguar uma discussão entre duas mulheres, acrescentou Ben Crump, o advogado que representa a família de George Floyd, um afro-americano que morreu asfixiado pelo joelho de um polícia branco em maio passado, na cidade norte-americana de Minneapolis.

Blake foi internado em estado grave e os polícias suspensos, enquanto decorre uma investigação. Medidas que não foram suficientes para calar a indignação de muitos habitantes de Kenosha, que saíram à rua em protesto contra a polícia.

Para tentar evitar o agravar dos protestos, e tendo em mente o que se seguiu à morte de George Floyd, em Minneapolis, foi ordenado o recolher obrigatório de emergência na cidade de Kenosha.

"Enquanto não temos todos os detalhes, o que sabemos ao certo é que não foi a primeira pessoa negra a ser baleada, ferida ou morta sem piedade às mãos de agentes da lei no nosso país", disse o governador do Wisconsin, Tony Evers. "Estamos ao lado daqueles que exigem justiça, equidade e prestação de contas pelas vidas dos negros no nosso país", acrescentou, no Twitter.

Segundo o jornal "The Washingtron Post", a disseminação do vídeo nas redes sociais espalhou a revolta na comunidade, com uma multidão a juntar-se num cruzamento em Kenosha. A tensão escalou, com a polícia a reforçar meios. Vários carros foram danificados e pelo menos um polícia ficou ferido, atingido por um tijolo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG