Brasil

Polícia quer depoimento de Bolsonaro nos próximos dias

Polícia quer depoimento de Bolsonaro nos próximos dias

A Polícia Federal (PF) brasileira informou o Supremo Tribunal Federal (STF) que pretende recolher "nos próximos dias" o depoimento do Presidente do país, Jair Bolsonaro, no inquérito sobre alegadas interferências do mandatário no órgão policial.

O ofício da PF foi enviado na última sexta-feira ao juiz Celso de Mello, no qual consta que "as investigações se encontram em estágio avançado".

"Informo a vossa excelência que as investigações se encontram em estágio avançado, razão pela qual nos próximos dias torna-se necessária a oitiva [audição] do senhor Jair Messias Bolsonaro, Presidente da República", escreveu a delegada Christiane Correa Machada, coordenadora do Serviço de Inquéritos Especiais da PF.

O documento não indica, contudo, se o depoimento será prestado presencialmente ou por escrito.

No final de maio, a delegada já tinha informado que pretendia ouvir o chefe de Estado, ocasião em que pediu também a Celso de Mello a prorrogação do inquérito por mais 30 dias, solicitação que foi aceite pelo magistrado.

Em causa está um inquérito aberto em abril pelo STF, a pedido do procurador-geral da República brasileiro, Augusto Aras, após o ex-ministro da Justiça Sergio Moro ter acusado Jair Bolsonaro de "interferência política na Polícia Federal", na sequência da demissão do ex-chefe daquela instituição Maurício Valeixo.

PUB

Na ocasião, Moro afirmou que Bolsonaro exonerou a liderança da Polícia Federal porque pretendia ter acesso às investigações judiciais, algumas das quais a envolver os filhos ou aliados.

"O Presidente disse-me, mais de uma vez, expressamente, que queria ter uma pessoa do contacto pessoal dele [para quem] ele pudesse ligar, [de quem] ele pudesse colher informações, [com quem] ele pudesse colher relatórios de inteligência. Seja o diretor [da Polícia Federal], seja um superintendente", declarou Moro, quando pediu a demissão no final de abril.

No início de maio, o procurador-geral do Brasil pediu a audição de ministros, de uma deputada, e de delegados, assim como o registo de reuniões de Governo, para apurar as acusações de Moro.

Agora, a Polícia Federal considera necessário ouvir também Jair Bolsonaro, principal visado no inquérito.

A Polícia Federal é um órgão autónomo, subordinado ao Ministério da Justiça, embora o diretor seja nomeado pelo Presidente da República.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG