Krugersdorp

Polícia sul-africana leva a tribunal 81 mineiros ilegais detidos após violação de oito mulheres

Polícia sul-africana leva a tribunal 81 mineiros ilegais detidos após violação de oito mulheres

Um total de 81 mineiros ilegais compareceram esta quarta-feira num tribunal de primeira instância na pequena cidade mineira de Krugersdorp, oeste de Joanesburgo, onde oito raparigas foram violadas coletivamente numa mina abandonada, noticiou a imprensa sul-africana.

A porta-voz da Polícia Sul-Africana (SAPS, na sigla em inglês), Brenda Muridili, referiu à Lusa que os trabalhadores mineiros foram detidos por violação das leis de emigração do país, próximo do local onde ocorreu o incidente que chocou o país.

"Foram detidos próximo do local onde o incidente ocorreu, e por enquanto não serão acusados por violação, enquanto aguardamos o resultado dos testes de ADN", salientou.

PUB

"Poderão estar ou não envolvidos [no crime de violação], mas terão de enfrentar a justiça por se encontrarem ilegalmente no país", frisou a porta-voz da polícia à Lusa, escusando-se a precisar a nacionalidade dos detidos.

Após várias horas, o tribunal sul-africano adiou o caso das oito dezenas de processos para a próxima quarta-feira, segundo a imprensa local.

Os detidos, entre os quais pelo menos 20 considerados menores de 18 anos, são conhecidos localmente como Zama Zama por trabalharem ilegalmente nas minas abandonadas da região, tendo sido detidos na sexta-feira e no sábado pela polícia sul-africana.

Na quinta-feira, um gangue armado invadiu um local onde estavam a decorrer as filmagens de um videoclipe, numa mina abandonada próximo de Krugersdorp, e violou oito jovens raparigas que faziam parte do elenco. A equipa de filmagem foi também assaltada.

Na sequência do incidente, as autoridades de segurança sul-africanas reforçaram uma vaga sem precedentes de operações especiais na área de Krugersdorp, nos últimos dias.

Um segundo grupo de 46 mineiros ilegais, detidos terça-feira nas áreas de Krugersdorp e Randfontein, devem comparecer quinta-feira nos tribunais das respetivas jurisdições por roubo e violação da legislação de mineração, referiu hoje o porta-voz da unidade de investigação criminal (Hawks) da polícia sul-africana, Philani Nkwalase, à Lusa.

O porta-voz policial adiantou que entre os detidos há também imigrantes de países vizinhos, salientando que o seu estatuto no país está a ser investigado pelas autoridades, sem avançar detalhes.

"Certamente que os perpetradores [da violação] irão ser encontrados com estas rusgas, mas é necessário ir mais além de forma a impedir futuras ações criminosas por estas pessoas que estão ilegais [no país], a grande maioria são estrangeiros, particularmente de Moçambique", declarou o ministro da Polícia da África do Sul, Bheki Cele.

O governante sul-africano, que enfrenta várias críticas da oposição política e da sociedade civil sul-africana devido ao agravamento da violência de género no país, falava durante a rusga policial na terça-feira, que envolveu meios aéreos, a oito minas abandonadas em Krugersdorp e Randfontein, oeste da capital económica do país, Joanesburgo.

As forças de segurança sul-africanas prosseguiram durante o dia de hoje com as rusgas policiais na área de Krugersdorp.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG