O Jogo ao Vivo

Ambiente

Poluição da luz: a maior ameaça para os insetos e para a vida na Terra

Poluição da luz: a maior ameaça para os insetos e para a vida na Terra

A poluição da luz é uma das principais, senão a maior ameaça à vida dos insetos, um "apocalipse" que pode, por sua vez, colocar em risco a vida na Terra. Cientistas dizem que é um assunto que passa despercebido e muitas vezes esquecido, mas lembram que a morte destes animais pode ser evitada simplesmente ao desligar luzes desnecessárias.

Segundo um artigo do jornal britânico "The Guardian", que ouviu vários especialistas, a luz artificial à noite pode afetar todos os aspetos da vida dos insetos, como atrair traças até à morte em lâmpadas, iluminar presas para ratos e sapos, atrapalhar os sinais de acasalamento de pirilampos ou confundir joaninhas, que usam a luz das estrelas para se orientarem.

"Acreditamos firmemente que a luz artificial à noite - em combinação com a perda de habitat, poluição química, espécies invasoras e alterações climáticas - está a provocar o declínio de insetos", concluíram os cientistas depois de avaliar mais de 150 estudos. "Afirmamos que a luz artificial à noite é outro fator importante - mas muitas vezes esquecido - do apocalipse dos insetos".

No entanto, ao contrário de outros fatores determinantes desse declínio, a "poluição da luz", como lhe chamam os especialistas, é relativamente fácil de evitar, bastando para isso desligar luzes desnecessárias e usar persianas adequadas. "Fazer isso pode reduzir muito as perdas de insetos no imediato", explicam.

Brett Seymoure, ecologista da Universidade de Washington em St. Louis e autor do estudo, afirmou: "A luz artificial à noite é uma iluminação causada por seres humanos - desde a iluminação pública à queima de gás da extração de petróleo. Pode afetar insetos em praticamente todas as partes imagináveis ​​das suas vidas".

Colapsos na população de insetos foram relatados na Alemanha e em Porto Rico, e o primeiro estudo científico global, publicado em fevereiro, revelava que o declínio destes animais ameaça causar um "colapso catastrófico dos ecossistemas da natureza".

O mais recente estudo revela que o número de "insetos em todo o mundo está a diminuir rapidamente". "A sua ausência teria consequências devastadoras para a vida neste planeta", conclui a pesquisa, publicada na revista Biological Conservation. Cientistas dizem ainda que a luz é utilizada há muito tempo por agricultores para matar deliberadamente os insetos. No entanto, à medida que a população humana aumentava e o custo da iluminação diminuía, a poluição da luz passou a afetar um quarto de toda a superfície terrestre.

Estima-se que existam milhões de espécies de insetos, a maioria das quais é ainda desconhecida pela ciência, e cerca de metade são noturnas. As espécies mais ativas durante o dia também podem ser perturbadas pela luz à noite, quando estão em repouso.

O impacto mais conhecido da poluição da luz é o das traças atraídas pelas lâmpadas, que confundem com a lua. Um terço dos insetos "presos" na órbita dessas luzes morrem antes do amanhecer, por exaustão ou por serem comidos.