Itália

"Tragédia imensa" em Génova com 26 mortos confirmados

"Tragédia imensa" em Génova com 26 mortos confirmados

A Ponte Morandi colapsou, esta terça-feira, em Génova, Itália. O Governo Regional de Liguria, que inicialmente confirmou 35 mortes, corrigiu por duas vezes, esta noite, o número de vítimas mortais. Balanço provisório é de 26 mortes.

Danilo Tonionelli, Ministro dos Transportes de Itália, disse que o país está a viver "uma tragédia imensa". Segundo o Governo Regional, 23 corpos foram transportados para San Marino para serem identificados. Até ao momento, foram apuradas as identidades de 19 das vítimas mortais.

Os bombeiros que estão a acompanhar os trabalhos de resgate falam de um cenário dantesco, com vários carros esmagados e pessoas mortas no interior dos veículos. Logo após o acidente, a "Sky " explicava que no momento do colapso estariam dez veículos no local afetado.

"Até ao momento, não há qualquer indicação de portugueses envolvidos", referiu à agência Lusa fonte da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

Estavam cerca de 30 veículos sobre a ponte no momento em que caiu sobre o rio, habitações e uma linha de comboio. As operações de busca decorrem no meio de toneladas de escombros de betão.

A ponte, com cerca de 100 metros de altura, faz parte da A10, uma importante autoestrada na zona. Foi construída em 1960. É usada por centenas de milhares de pessoas todos os dias.

Uma imagem publicada nas redes sociais pelos serviços de emergência médica mostra um camião preso na parte final do que resta da ponte.

Ainda não são conhecidas as causas do colapso. Mas, através de vários vídeos que surgem nas redes sociais, é possível ver que no momento do acidente abatia-se uma forte tempestade sobre a cidade.

Juncker "profundamente consternado"

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, manifestou-se "profundamente consternado com o colapso da ponte" hoje em Génova, "que custou tantas vidas". "Em nome da Comissão Europeia, expresso as minhas mais profundas e sinceras condolências aos familiares e próximos daqueles que morreram, e ao povo italiano", lê-se numa mensagem divulgada hoje à tarde em Bruxelas.