Venezuela

Por qué no te callas?

Por qué no te callas?

Em novembro de 2007, o rei de Espanha mandou calar Hugo Chávez em plena XVII Cimeira Ibero-Americana, em Santiago do Chile. "Por qué no te callas?" rapidamente se tornou um fenómeno de sucesso, dando lugar a toques de telemóvel, T-shirts com a frase escrita, vídeos no Youtube e muitas anedotas.

Sem que nada o fizesse prever, até porque não é expectável que um monarca tenha este tipo de comportamento, no dia 10 de novembro de 2007, o rei Juan Carlos mandou calar o presidente venezuelano em público. A frase "Por qué no te callas?'" saiu-lhe instintivamente e em tom furioso e azedou a relação entre os dois países, mas foi amplamente aplaudido pelo público.

A irritação de Juan Carlos deveu-se às constantes interrupções de Hugo Chávez enquanto o então primeiro-ministro espanhol, José Luíz Rodríguez Zapatero, discursava. O governante elogiava o trabalho do seu antecessor, José María Aznar, enquanto Chávez o apelidava de "fascista" e acusava de ser "menos humano do que as cobras". O presidente venezuelano acusou ainda Aznar de estar por detrás de um golpe de Estado falhado, em 2002, para tirá-lo do poder.

Na sequência deste episódio, Chávez anunciou a cobrança de mais impostos às empresas espanholas que operavam na Venezuela e congelou as relações com Espanha.Dias depois, exigiu mesmo um pedido formal de desculpas ao monarca, que nunca aconteceu.

A frase tornou-se uma autêntica mina de ouro para alguns. Seis dias depois deste episódio, o domínio porquenotecallas.com valia cerca de 3400 euros no eBay. Em Espanha, 500 mil pessoas compraram o toque de telemóvel com a frase gerando um total de 1,5 milhões de euros vendas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG