Covid-19

Portuguesa detida após fuga da quarentena em hotel de Amesterdão

Portuguesa detida após fuga da quarentena em hotel de Amesterdão

A polícia dos Países Baixos deteve no domingo, num avião no aeroporto de Amesterdão, um casal (uma mulher portuguesa e um homem espanhol) que fugiu do hotel onde estavam sob quarentena passageiros provenientes da África do Sul infetados com o coronavírus que causa a covid-19.

O incidente ocorreu depois de as autoridades de Haia terem anunciado que 13 pessoas, entre 61 passageiros que testaram positivo à covid-19 à chegada na sexta-feira em dois voos ao aeroporto de Amesterdão, estão contaminadas com a nova variante Ómicron, identificada pela primeira vez na África do Sul.

A detenção do casal aconteceu no interior de um avião que se preparava para descolar com destino a Espanha, indicou um porta-voz da polícia real neerlandesa, Stan Verberkt. Segundo a autoridade de saúde, o casal foi colocado de novo em isolamento, mas noutro hotel. Segundo um jornal local, a mulher do casal é portuguesa.

Quase todos os 61 passageiros infetados estão sob quarentena no mesmo hotel, que está a ser vigiado pela polícia e por agentes de segurança. Apenas alguns passageiros foram autorizados a permanecer em casa.

Os passageiros dos mesmos voos que não estão infetados estão a cumprir isolamento domiciliário.

PUB

"Verificaremos se respeitam as regras", afirmou, em declarações aos jornalistas, o ministro da Saúde, Hugo de Jonge.

A covid-19 provocou pelo menos 5.193.392 mortes em todo o mundo, entre mais de 260,44 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a ómicron, foi recentemente detetada na África do Sul e, segundo a Organização Mundial da Saúde, o "elevado número de mutações" pode implicar uma maior infecciosidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG