O Jogo ao Vivo

Inglaterra

Portugueses retidos em Londres por causa de drones

Portugueses retidos em Londres por causa de drones

Uma centena de passageiros continua à espera de um voo para o Porto, desde o aeroporto de Gatwick, na periferia de Londres, após a suspensão dos voos devido ao avistamento de dois drones. Grupo vai para Heathrow para tentar voar até Portugal

O voo TP1335 teria como hora prevista de partida as 20.45 horas desta quarta-feira, mas pouco depois do embarque, o "avião parou no meio da pista". "Fomos informados que teríamos de aguardar, à espera de informações da torre de controlo", contou ao JN um dos passageiros.

Ficaram retidos dentro do avião durante cerca de cinco horas, até que as malas começaram a ser retiradas do aparelho.

"A TAP encaminhou-nos para um hotel, o que só aconteceu por volta das 9 horas da manhã de quinta", acrescenta.

Esta quinta-feira, os passageiros regressaram ao aeroporto e a companhia tê-los-á informado que conseguiriam embarcar pelas 17.30 horas, com destino ao Porto, o que não aconteceu.

"Continuamos aqui à espera. As outras companhias já conseguiram despachar todos os passageiros. Nós continuamos sem saber quando e como vamos regressar a casa", conta.

Contactada pelo JN, a TAP esclarece que realizou esta quinta-feira dois voos extra para Heathrow, "no sentido de minimizar os transtornos causados aos seus passageiros pelo fecho do aeroporto de Gatwick".

Os passageiros do voo em causa "não foram direcionados para esses voos extra, uma vez que a TAP aguardava indicação da viabilidade de operar o voo regular Gatwick -Porto esta tarde". O que veio a não acontecer, uma vez que o aeroporto inglês continua fechado.

Fonte da companhia aérea assegura que se continua à procura de uma alternativa, ainda "em aberto", para estes passageiros.

Já ao final da noite, o grupo de passageiros foi encaminhado para o aeroporto londrino de Heathrow, de onde deverá voar até Lisboa, para depois fazer a ligação até ao Porto.