Talibãs

Presidente afegão fugiu para os Emirados Árabes Unidos

Presidente afegão fugiu para os Emirados Árabes Unidos

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) declararam, esta quarta-feira, ter acolhido o Presidente afegão, Ashraf Ghani, e a sua família no país por "razões humanitárias", após os talibãs terem tomado Cabul.

Os Emirados "deram as boas-vindas ao Presidente afegão, Ashraf Ghani, e à sua família, por razões humanitárias", disse a agência de notícias oficial dos Emirados Árabes Unidos WAM, citando uma nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Ashraf Ghani fugiu do Afeganistão no momento em que os talibãs se aproximaram de Cabul, que foi tomada pelo grupo extremista no domingo. Depois de ter fugido secretamente do país e sem uma renúncia pública ao cargo, Ghani alegou em declaração que deixou o poder para "evitar derramamento de sangue", porque, segundo ele, os talibãs estavam dispostos a atacar Cabul para o derrubar. Posteriormente, o político não fez mais declarações e não compareceu perante a imprensa.

Na terça-feira, o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Uzbequistão negou a presença do Presidente afegão deposto Ashraf Ghani no seu território, ao contrário do indicado por alguns órgãos de comunicação social.

Também a retirada de afegãos e estrangeiros, que se encontravam no Afeganistão, precipitou-se desde domingo, quando as forças talibãs tomaram o poder em Cabul instaurando o Emirado Islâmico. O avanço das forças talibãs intensificou-se desde maio, quando começou a retirada das forças dos Estados Unidos e aliados.

A retirada dos militares norte-americanos foi negociada em fevereiro de 2020.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG