Guerra

Presidente da Bielorrússia nega ter planos para atacar ucranianos

Presidente da Bielorrússia nega ter planos para atacar ucranianos

O presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, aliado do Kremlin, negou, esta sexta-feira, ter planos para atacar a Ucrânia durante uma reunião com habitantes no distrito de Pruzana, no sudoeste da Bielorrússia.

"Não pensem que planeio um ataque, que vamos bombardear a Ucrânia a partir do território da Bielorrússia ou algo assim", disse o Presidente, citado pela agência oficial bielorrussa BELTA.

Lukashenko acrescentou que "não deseja" que os seus filhos e os filhos de cidadãos bielorrussos lutem. "Pelo quê? Temos de nos acalmar", afirmou o Presidente bielorrusso.

PUB

O chefe de Estado bielorrusso assegurou que não é a Ucrânia que está a combater, acrescentando que "hoje contra a Rússia está a lutar todo o bloco da NATO e, sobretudo, os Estados Unidos".

De acordo com Lukashenko, a Europa teria acabado com a guerra há muito tempo se os Estados Unidos, com a ajuda da Polónia, não continuassem a estimular a ação de combate.

O Governo ucraniano considera o regime bielorrusso "cúmplice da agressão russa", por permitir não só ataques russos a partir de seu território, mas também a entrada de tropas russas na Ucrânia no início da "operação militar especial" lançada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, há cerca de seis meses.

"Legalmente, e por muito tempo, a Bielorrússia será considerada um país que forneceu infraestrutura para a invasão russa", declarou recentemente o assessor da Presidência ucraniana, Mikhaylo Podoliak.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG