Mundo

Presidente da Venezuela diz que grupo de pessoas tentou agredir os seus filhos

Presidente da Venezuela diz que grupo de pessoas tentou agredir os seus filhos

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que um grupo de pessoas aproximou-se sexta-feira da sua casa para tentar agredir os seus filhos, grupo que disse estar já identificado.

"Onde vivemos há 14 anos, ali, no nosso apartamento. Foram lá para agredir os nossos filhos. Um grupo pequeno, muito pequeno, cheio de ódio e intolerância", afirmou Maduro numa ação do Governo transmitida pela televisão.

O Presidente disse também que a "família é sagrada" e que os seus filhos "são sagrados".

Nicolás Maduro explicou que o grupo se aproximou da residência depois de terem sido denunciados por enviarem mensagens com ameaças de morte à filha do presidente da Assembleia Nacional.

"Isto é democracia? Responde a algum projeto político que se possa chamar de humano? ", questionou.

O Presidente acrescentou ter enviado o caso para a Procuradoria com as provas existentes para que esta atue e defendeu que estas pessoas devem responder em tribunal pelas suas ameaças, expressões e ódio.