Ucrânia

Presidente romeno apela a corredores marítimos para exportação de cereais

Presidente romeno apela a corredores marítimos para exportação de cereais

O presidente da Roménia apelou, esta quinta-feira, durante a visita a Kiev com os líderes da Alemanha, França e Itália, ao envolvimento da comunidade internacional na abertura de um corredor marítimo para permitir à Ucrânia exportar cereais.

"A Roménia apela a que todos os intervenientes relevantes participem na criação de uma coligação de Estados para apoiar o esforço internacional para a abertura de corredores azuis para o transporte marítimo, em segurança, através do Mar Negro", referiu Klaus Iohannis.

Com o bloqueio do Mar Negro aos navios ucranianos, a Rússia está a impedir as exportações a partir dos portos da Ucrânia, país que é um dos maiores produtores mundiais de cereais, o que está a provocar receios de uma crise alimentar global.

PUB

O apelo de Klaus Iohannis foi feito numa conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, e com os líderes da Alemanha, Olaf Scholz, França, Emmanuel Mácron, e Itália, Mario Draghi.

Segundo o chefe de Estado da Roménia, desde o início da invasão da Ucrânia pela Rússia, no final de fevereiro, a Ucrânia exportou mais de um milhão de toneladas de cereais através do porto romeno de Constance, no Mar Negro.

"Além disso, estamos a trabalhar para abrir novos pontos de passagem na fronteira com a Ucrânia", avançou Klaus Iohannis, que também se comprometeu a reabilitar as vias da precária rede ferroviária da Roménia para que o país possa transportar mais cereais ucranianos para os seus portos do Danúbio e do Mar Negro.

Em consonância com os líderes da Alemanha, França e Itália, o chefe de Estado romeno manifestou o seu apoio à concessão à Ucrânia do estatuto de candidato à União Europeia (UE).

Iohannis também defendeu a concessão desse estatuto à Moldávia e à Geórgia no Conselho Europeu que se realiza em 23 e 24 de junho.

Emmanuel Macron, Olaf Scholz, Mario Draghi e Klaus Iohannis deslocaram-se hoje à capital Kiev, onde se reuniram com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG