O Jogo ao Vivo

Covax

Primeiras vacinas contra a covid-19 só chegam a África em março

Primeiras vacinas contra a covid-19 só chegam a África em março

As primeiras doses da vacina da covid-19 provenientes da parceria global Covax deverão chegar a África em março.

"É lamentável que até agora a distribuição de vacinas tenha sido injusta, mas este é um empreendimento massivo e leva tempo. A parceria Covax visa fornecer cerca de 600 milhões de doses para África em 2021", disse esta quinta-feira, em conferência de imprensa, a diretora regional da Organização Mundial de Saúde (OMS), Matshidiso Moeti., adiantando que aguarda uma maior distribuição de doses até junho num continente com 1,3 mil milhões de pessoas.

O anúncio da OMS surge um dia depois de o presidente em exercício da União Africana, o chefe de estado da África do Sul, Cyril Ramaphosa, ter anunciado a reserva de 270 milhões de doses das vacinas da Pfizer, Johnson & Johnson e AstraZeneca através do Serum Institute da Índia.

PUB

Espera-se que as doses sejam atribuídas aos países com base na dimensão da população e na gravidade do surto, sendo os trabalhadores da saúde considerados de máxima prioridade depois de milhares de pessoas terem sido infetadas.

O continente africano enfrenta a segunda vaga da pandemia e regista atualmente cerca de 30 mil novos casos de vírus por dia, em comparação com 18 mil durante o primeiro surto, segundo dados do Africa CDC, que apontam que as mortes confirmadas por covid-19 aumentaram 21% na última semana em África, com mais de 5.400 óbitos registados.

O continente tem mais de 3,1 milhões de casos confirmados de vírus, incluindo mais de 75 mil mortes, e de acordo com os especialistas está a ser "atingido muito duramente" por uma segunda vaga de infeções.

A taxa de mortalidade associada à doença em África é agora de 2,4%, acima da taxa média global de 2,2%.

Cerca de 20 países africanos têm taxas de casos fatais acima da média global, incluindo o Sudão com 6%, o Egito com 5,5%, o Mali com 3,9%, o Congo com 3,1% e a África do Sul com 2,8%.

A África do Sul é um dos países mais atingidos do mundo, uma vez que uma variante altamente infecciosa do vírus domina agora o número de novos casos. O país tem mais de 1,2 milhões de casos, incluindo 35 mil mortes.

Segundo a responsável da OMS, a sequenciação genómica encontrou essa nova variante em três outros países: Botsuana, Gâmbia e Zâmbia.

"A importância de um sistema robusto de vigilância genómica não pode ser sobrestimada", disse Matshidiso Moeti.

As vacinas da Covax deverão cobrir apenas 20% da população em África e surgem preocupações relacionadas com forma como os países africanos poderão receber vacinas que requerem um armazenamento super-frio, devido à falta de infraestruturas e ao fornecimento de energia incerto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG