Epidemia

Primeiro caso de coronavírus no Canadá

Primeiro caso de coronavírus no Canadá

As autoridades médicas do Canadá anunciaram, no sábado, que foi detetado em Toronto o primeiro caso do novo coronavírus responsável pelo surto infeccioso na cidade chinesa de Whuan, que já provocou a morte de 54 pessoas na China.

O doente, um homem com cerca de 50 anos, esteve na cidade chinesa de Wuhan, onde esta nova infeção surgiu em dezembro. Regressou ao Canadá em 22 de janeiro e foi hospitalizado no hospital Sunnybrook de Toronto no dia seguinte.

Em conferência de imprensa em Ontário, os responsáveis locais referiram que os exames realizados no doente revelaram a presença do coronavírus designado 2019-nCoV pela Organização Mundial de Saúde.

Em comunicado, a unidade hospitalar referiu que o doente foi imediatamente isolado e foram adotadas todas as precauções para o pessoal e outros doentes.

O diagnóstico foi confirmado mas as autoridades assinalaram que aguardam novos exames realizados no Laboratório Nacional de Microbiologia do Canadá para confirmar em definitivo o resultado positivo.

No sábado, o Governo chinês anunciou que o número de mortos devido ao novo coronavírus detetado na China aumentou para 54, para além do surgimento de mais de 300 novos casos.

Na província de Hubei foram registados 13 novos óbitos devido à epidemia viral, elevando o balanço para 54 mortos, e 323 novos casos de infeções por coronavírus foram confirmados, anunciaram no domingo as autoridades.

Os últimos dados de Hubei, epicentro do contágio, elevam para 1.610 o número total de casos de infeções confirmadas no conjunto do país, de acordo com as informações do Governo central.

O novo coronavírus foi detetado na cidade chinesa de Wuhan (centro) no final de 2019.

Além da China, Macau e Hong Kong, estão confirmados casos de infeção em Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, França e Austrália.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) reportou o primeiro caso suspeito de infeção de um homem que regressou de Wuhan no sábado, e que foi internado no Hospital Curry Cabral, em Lisboa.

Todos os casos reportados fora da China referem história recente de viagem a Wuhan.

As autoridades chinesas alertaram que o país está no ponto "mais crítico" no que toca à prevenção e controlo do vírus, cancelaram as celebrações do Ano Lunar do Rato e colocaram em quarentena 13 cidades.

Os sintomas associados à infeção causada pelo novo coronavírus (denominado provisoriamente 2019-nCoV) são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, incluindo falta de ar.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG