Política

Principal opositor russo impedido de abrir sede eleitoral

Principal opositor russo impedido de abrir sede eleitoral

O opositor russo Alexei Navalny, que pretende candidatar-se às presidenciais de 2018, disse esta segunda-feira que as autoridades de Vladivostok (extremo oriente russo) o impediram de abrir uma sede eleitoral na cidade.

Ruslan Shavaddinov, do Fundo da Luta contra a Corrupção (FLC, dirigido por Navalny), disse ao diário independente Novaya Gazeta que a polícia de trânsito parou o carro dos ativistas cinco vezes no percurso entre o aeroporto e a sede eleitoral.

Adiantou que no local ele e outros membros da campanha de Navalny não puderam entrar no edifício, que tinham alugado, devido a uma mudança de fechadura que não lhes foi comunicada.

Leonid Volkov, chefe de campanha de Navalny, agradeceu aos apoiantes do opositor russo, cerca de 300 pessoas, segundo os seus cálculos, que "não tiveram medo" e apareceram na abertura falhada da sede eleitoral.

"Encontraremos outro edifício e voltaremos", prometeu Volkov numa mensagem divulgada na rede social Facebook.

Navalny, 40 anos, anunciou em dezembro a sua intenção de desafiar Vladimir Putin nas presidenciais do início de 2018, mas a candidatura arrisca-se a ser bloqueada pela sua recente condenação a cinco anos de prisão, com pena suspensa, por desvio de fundos.

Apesar disso, o opositor continua a abrir sedes eleitorais por todo o país, algumas das quais são alvo de ataques. Em março, desconhecidos lançaram fogo à sede em São Petersburgo, sem que fossem registadas vítimas.

Navalny, que se candidatou em outubro de 2013 às municipais por Moscovo e obteve 27,2% dos votos, foi um dos organizadores das grandes manifestações de dezembro de 2011 pela demissão de Vladimir Putin, os maiores protestos antigovernamentais no país desde o fim da União Soviética.