O Jogo ao Vivo

Perigo

Produto químico à venda na Amazon como "cura milagrosa" para a covid

Produto químico à venda na Amazon como "cura milagrosa" para a covid

Um produto químico industrial foi colocado à venda na plataforma Amazon anunciado como uma "cura milagrosa" para a covid-19, enganando os consumidores apesar das advertências de saúde da agência federal Food and Drug Administration (FDA) dos EUA de que beber aquele líquido pode matar.

As soluções à base de dióxido de cloro estão a ser vendidas na Amazon sob as marcas CD Kit e NatriChlor, de acordo com o jornal "The Guardian". Os vendedores particulares anunciam o produto como um "tratamento de água" e incluem isenções legais de que o líquido "não é comercializado para uso interno".

Mas os comentários dos clientes na secção de revisão das páginas mostram uma discussão sobre quantas gotas do produto os compradores estão a ingerir e explicam que estão a beber a substância química que chamam de MMS para se "desinfetarem".

Um comprador, que escreveu em espanhol, disse que a sua família começou a tomar o produto logo depois de a pandemia ter atingido os Estados Unidos. "Muitas pessoas ainda não acreditam nisso, mas tenho a certeza de que nos ajudou muito", afirmou.

"A minha mãe, de 77 anos, ficou com corona, covid, e teve uma dor no corpo todo, dor de estômago, dor de cabeça extrema, fadiga... Bem, ela começou a tomar MMS e não estou a brincar, ela estava muito melhor no dia seguinte e no dia a seguir a esse estava totalmente bem!", garantiu outro cliente.

O produto que está a ser vendido na Amazon é normalmente usado em processos industriais, incluindo fabricação de têxteis e branqueamento de celulose e papel. Em pequenas doses, pode ser usado para desinfetar água, mas as concentrações defendidas pelos traficantes de MMS - "solução mineral milagrosa" - estão bem acima dos níveis de segurança.

Os defensores do MMS afirmam falsamente que o produto é uma cura para quase todas as doenças, incluindo malária, HIV/SIDA, cancro e agora covid-19. Também o comercializam falsamente como uma cura para o autismo.

Desde o início da pandemia, a FDA vem tentando reprimir os traficantes fraudulentos de remédios que alegam proteção contra o vírus. Em agosto passado, a agência emitiu um forte alerta de saúde de que os produtos químicos MMS podem ser fatais.

A Associação Americana de Centros de Controlo de Envenenamento registou mais de 16 mil casos de envenenamento por dióxido de cloro, incluindo 2500 casos de crianças menores de 12 anos. Muitas dessas pessoas sofreram efeitos colaterais graves, como uma menina autista de seis anos que há três anos necessitou de tratamento hospitalar para insuficiência hepática.

Várias mortes de pessoas que beberam o produto comercializado como uma "cura milagrosa" foram relatadas em toda a América do Sul, incluindo na Argentina, onde um menino de cinco anos teria morrido em agosto após receber dióxido de cloro como uma cura de covid.

No passado, a Amazon removeu da plataforma vários livros pró-MMS, incluindo os do fundador do movimento, Jim Humble. O autor alegou ter descoberto que o dióxido de cloro cura a malária durante uma expedição de mineração de ouro na selva da Guiana em 1996.

Em março, a Amazon prometeu reprimir as listas de produtos que lucram com falsos remédios para a covid-19. Mas os vendedores particulares ainda encontram maneiras de vender produtos potencialmente perigosos no site.

Outras Notícias