EUA

Profissional de saúde sofreu reacção alérgica grave à vacina Pfizer

Profissional de saúde sofreu reacção alérgica grave à vacina Pfizer

Uma profissional de saúde no Alasca, EUA, sofreu uma reacção alérgica grave após ter tomado a vacina Covid-19 da Pfizer-BioNTech e está agora hospitalizada, mas estável. "Ela é saudável e está bem", revelou uma responsável do hospital Bertlett, em Juneau.

O "The New York Times" revelou, esta quarta-feira, que a pessoa recebeu a vacina na terça-feira e que a Pfizer confirmou estar a trabalhar com as autoridades locais para investigar o incidente. Segundo o relato do jornal norte-americano, a mulher de meia idade não tinha qualquer passado de alergias, mas teve uma reação anafilática dez minutos depois de receber a vacina. Sentiu falta de ar e irritação cutânea.

Segundo Lindy Jones, responsável pelo serviço de urgência do hospital, a profissional de saúde poderá ter alta ainda esta quarta-feira e mantém-se entusiasmada por ter recebido a vacina.

PUB

Dois profissionais de saúde na Grã-Bretanha tiveram reacções alérgicas semelhantes, fazendo com que o governo britãncio alertar a população para evitar a vacina se houvesse um historial de alergias graves. O regulador dos EUA emitiu também uma aprovação de emergência com o aviso para que tenha alergias conhecidas a ingredientes da vacina.

"Ainda não temos todos os detalhes do relatório do Alasca sobre uma potencial reacção alérgica grave, mas estamos a trabalhar activamente com as autoridades sanitárias locais para avaliar", disse um porta-voz da Pfizer. "Vamos acompanhar de perto todos os relatórios que sugerem reacções alérgicas graves após a vacinação e actualizar a linguagem de rotulagem, se necessário".

Nas indicações da vacina, há a menção de que é possível haver uma "rara reação anafilática grave", pelo que é necessário que tratamento médico esteja disponível no momento da inoculação.

Os voluntários do ensaio clínico da Pfizer de 44 mil pessoas foram excluídos se tivessem um historial de reacções alérgicas a vacinas ou componentes da vacina Covid-19.

Globalmente, o ensaio não encontrou problemas graves de segurança, mas os reguladores e a empresa continuam a monitorizar os acontecimentos adversos após a vacinação. Os EUA estão a vacinar cerca de três milhões de pessoas esta semana e esperam atingir um total de 20 milhões de pessoas este mês se outra vacina, desenvolvida pela Moderna, for aprovada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG