Guerra na Ucrânia

Putin será dono de iate de 645 milhões de euros atracado em Itália

Putin será dono de iate de 645 milhões de euros atracado em Itália

A suspeita da ligação entre um dos maiores iates do mundo e Vladimir Putin está a ser levantada pela página do opositor russo, Alexei Navalny. Chama-se "Scheherazade", custa 75 mil milhões de rublos (aproximadamente 645 milhões de euros), está atracado no porto italiano de Marina di Carrara, na Toscana e, oficialmente, ninguém sabe a quem pertence.

Muito está a ser escrito nas redes sociais sobre o "Scheherazade", um iate de origem alemã com dois heliportos, uma piscina, um complexo de spa, um salão de beleza, enormes salas de estar e camarotes reais. Com a apreensão de iates de vários multimilionários russos, a revolta cresce entre os internautas e há até uma investigação a decorrer para tentar provar que o proprietário do iate é, de facto, Vladimir Putin, exigindo que seja imediatamente confiscado.

Este será o 13.º iate maior do mundo, com 140 metros de comprimento.

PUB

Maria Pevchikh, uma jornalista de investigação russa e chefe da unidade de investigação da Federação Anticorrupção (FBK), criada por Navalny, tem mantido a par os seus seguidores no Twitter sobre a busca pela verdadeira identidade do dono do "Scheherazade", partilhando o que vai descobrindo. Maria escreve que "o iate é de propriedade de uma empresa offshore anónima das Ilhas Marshall. Ninguém o reivindicou ainda. Então, na verdade, é o maior iate do mundo cujo dono é desconhecido".

A jornalista, que diz investigar Putin há décadas, observa que "há uma coisa que sabemos com certeza. Putin nunca mantém ativos no seu próprio nome". Maria garante ter conseguido falar com um dos elementos da tripulação, que lhe terá confirmado que o proprietário é, efetivamente, Vladimir Putin.

Tripulação ligada ao Serviço Federal de Segurança russo

A equipa de Navalny afirma ter chegado aos documentos através do porto italiano onde está atracado o iate. Das 23 pessoas "chave" da tripulação, pelo menos metade terão ligação ao Serviço Federal de Segurança russo (o FSB).

"E é impossível não notar: todos os funcionários permanentes do iate, exceto o capitão, são russos. Mas há algo mais que quase todas as pessoas-chave nesta lista têm em comum. Eles trabalham para o FSB, o Serviço Federal de Segurança, uma agência que protege Putin e organiza a sua vida", revela a equipa do opositor russo, que foi esta terça-feira condenado a 13 anos de prisão.

Putin era proprietário de "Graceful", um iate que vale 10 mil milhões de rublos (87 milhões de euros). O dono do iate é, agora, Gennady Timchenko, amigo de Putin, de acordo com a página de Navalny.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG