Covid-19

Quatro mortes com "ligação à vacina" em nove milhões de doses administradas em Itália

Quatro mortes com "ligação à vacina" em nove milhões de doses administradas em Itália

Quatro pessoas morreram de trombose depois de tomarem a vacina contra a covid-19 durante o primeiro trimestre do ano em Itália, onde já foram administradas nove milhões de doses de vacinas.

A agência italiana do medicamento (AIFA na sigla em italiano) confirmou a deteção de 11 casos "muito raros" de trombose relacionados com a toma do fármaco da AstraZeneca, agora chamado Vaxzevria, dos quais sete foram tromboses venosas cerebrais e quatro acabaram por morrer.

A AIFA estabeleceu a relação no terceiro relatório de controlo farmacológico da campanha de vacinação, que abrange o período entre 27 de dezembro de 2020 e 26 de março de 2020, quando foram administradas 9.068.349 doses.

O documento refere ainda 46.237 notificações relatadas de desconforto não grave nas três vacinas utilizadas (Pfizer-BioNTech, Vaxzevria e Moderna), sendo que os sintomas mais frequentes foram dor no local de injeção, alguns décimos de febre, fraqueza e mau estar ou cansaço físico.

Por outro lado, os casos "graves" correspondem a 7,1% do total (36 por cada 100 mil doses) e costumam ser febre, cefaleia, dores nas articulações ou náuseas, em linha com as informações apresentadas pelas empresas farmacêuticas. A maioria desses casos deve-se à vacina da Pfizer-BioNTech (81%), até ao momento a mais utilizada no país, seguida pela da AstraZeneca (17%) e Moderna (2%).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG