Protesto

Raparigas israelitas querem poder usar calções como os rapazes

Raparigas israelitas querem poder usar calções como os rapazes

Centenas de raparigas adolescentes vestiram calções curtos esta semana em Israel, coincidindo com uma onda de calor, para manifestarem a rejeição às regras de vestuário que as proíbem de usar roupas que são permitidas aos rapazes.

O sucesso deste movimento estendeu-se em estabelecimentos de ensino de várias cidades do país, depois de um primeiro incidente registado na segunda-feira na escola Alon, em Ranana, a norte de Telavive, quando a direção da escola vetou a entrada a um grupo de alunas por vestirem os populares "shorts", segundo o portal de notícias israelita Ynet.

A indignação espalhou-se por grande parte de Israel, onde as raparigas também decidiram ir às aulas de calções, o que acabou com grupos de rapazes à porta das escolas a impedi-las de entrar por não cumprirem as regras de vestuário e exigindo que fosse a casa mudar de roupa.

Muitas jovens não desistiram e ficaram à porta para manifestarem a desigualdade de tratamento, enquanto publicavam fotografias suas nas redes sociais.

Para as adolescentes israelitas o que está em causa é uma questão de discriminação.

Nas imagens divulgadas pelo Ynet e nas redes sociais, podem ver-se dezenas de alunas em "shorts" alinhadas em fila defronte das escolas.

Num dos casos, cerca de 150 estudantes de uma escola em Gedera, no oeste do país, às quais foi inicialmente vetada a entrada, puderam finalmente assistir às aulas depois de uma espera firme do lado de fora durante três horas, num longo braço-de-ferro com a direção do estabelecimento de ensino.

Esta não é a primeira vez que há disputas sobre o código de vestuário nas escolas em Israel, onde tem havido reivindicações e críticas semelhantes em anos anteriores.

Outras Notícias