Apreensão

Raro e valioso: ovo Fabergé encontrado em iate de oligarca russo

Raro e valioso: ovo Fabergé encontrado em iate de oligarca russo

Num dos muitos super-iates apreendidos pelos Estados Unidos da América foi encontrado aquilo que se acredita ser um ovo Fabergé, uma peça de joalheira rara e avaliada em alguns largos milhões de euros. A revelação foi feita pela vice-Procuradora-Geral norte-americana, que considerou esta uma das descobertas mais "interessantes" que equipa fez.

Desde o início da guerra na Ucrânia que os países do ocidente têm apreendido iates e outros bens de luxo para atingir as finanças dos oligarcas russos com conexões ao Kremlin, numa tentativa de pressionar Vladimir Putin a desistir da "operação militar especial", iniciada em fevereiro deste ano.

A bordo de um desses super-iates foi encontrado um alegado ovo Fabergé, revelou Lisa Monaco, vice-Procuradora-Geral norte-americana, no Aspen Sercurity Forum, dedicado a discutir o papel da aplicação da lei no congelamento e apreensão de bens russos, que decorre no Colorado.

PUB

"Temos encontrado algumas coisas realmente interessantes. Recuperámos um Fabergé - ou alegado ovo Fabergé - num desses [iates]", citou o "The Guardian". Sobre a embarcação em questão Lisa Monaco apenas revelou que está neste momento atracada no porto de San Diego, depois de ter sido confiscado pelas autoridades das Fiji.

No mês passado, o super-iate "Amadea", avaliado em cerca de 300 milhões de dólares (mais de 285 milhões de euros), foi arrestado nas Fiji, a pedido dos Estados Unidos. A embarcação será propriedade do empresário e deputado Suleiman Kerimo, e estava ancorada em Lautoka, no oeste das Fiji, desde meados de abril. No entanto, não está confirmado que o iate em questão seja este.

Os ovos Fabergé, cuidadosamente elaborados com uma combinação de esmalte, metais e pedras preciosas, são obras-primas da joalharia idealizado por Peter Carl Fabergé, a pedido do czar russo Alexandre III para oferecer como presente à esposa Maria. Símbolo de luxo e grandiosidade, passaram a ser oferecidos na Páscoa entre os membros da família imperial durante três décadas. Entre 1885 e 1917, o joalheiro criou 50 ovos e nem todos sobreviveram. Caso se venha a comprovar a autenticidade do objeto este será um dos poucos ovos Fabergé que restam no Mundo e valerá muitos milhões de euros.

"Estamos a trabalhar com as forças policiais dos nossos parceiros no Mundo para realizar buscas nestes iates e nos certificarmos de que as autoridades têm o que é necessário para irem a tribunal e darem seguimento aos processos", declarou a vice-Procuradora-Geral norte-americana.

Lisa Monaco disse ainda no Fórum que apoiava a ideia de os lucros dos bens apreendidos serem canalizados para ajudar a Ucrânia a combater as forças russas.

A task-force "KleptoCapture" do Departamento de Justiça dos EUA concentra-se na apreensão de iates e outros bens de luxo para responder às sanções impostas pelos países do ocidente aos oligarcas russos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG