Tráfico de seres humanos

Rede de prostituição romeno-colombiana desmontada em França e Espanha

Rede de prostituição romeno-colombiana desmontada em França e Espanha

Uma vasta rede de prostituição romeno-colombiana, parcialmente baseada em Barcelona e que explorava mulheres em toda a França, foi desmantelada após oito meses de investigação.

Três homens foram presos em Montpellier e Perpignan, no sul de França, oito em Espanha pela polícia espanhola, um em Itália e outro na Roménia, indicou Elvire Arrighi, chefe do Escritório Central para a Repressão do Tráfico de Seres Humanos (OCRTEH) francês.

Foram identificadas 33 vítimas, romenas e sul-americanas, de entre 20 e 40 anos, mas "estima-se que deve haver muitas mais", acrescentou.

O caso começou a ser investigado em junho de 2020, quando duas prostitutas colombianas escaparam, em Montpellier, do apartamento em que estavam detidas, tendo denunciado o seu captor, um marroquino que, soube-se então, trabalhava para duas redes de prostituição.

A primeira, com sede na Roménia, explorou seis mulheres em hotéis no sul de França.

A segunda, muito maior e liderada por colombianos, fazia com que essas mulheres trabalhassem "desde a Bretanha (oeste de França) a Haute-Savoie (no leste, fronteira com a Suíça) passando pelo sudoeste e sudeste" do país, com prostitutas da Colômbia, Paraguai e República Dominicana, precisou a mesma fonte.

Estas mulheres foram atraídas para a Europa, onde membros da rede com sede em Barcelona negociaram um emprego com elas antes de as enviar para apartamentos alugados em toda a França.

PUB

A partir da Catalunha, os proxenetas cuidavam desses alugueres de curta duração e geriam "cerca de 40 linhas telefónicas", através quais marcavam consultas com clientes após publicarem anúncios na Internet.

A polícia ofereceu a todas as vítimas "ajuda para sair do caminho da prostituição" através do sistema nacional de acolhimento e proteção de vítimas de tráfico de seres humanos, que as coloca em contacto com associações de apoio psicológico e administrativo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG