Afeganistão

Reforço no Afeganistão reduz tempo de descanso dos soldados

Reforço no Afeganistão reduz tempo de descanso dos soldados

O exército norte-americano, actualmente mobilizado para assegurar o destacamento de reforços para o Afeganistão, vai ter de atrasar os seus planos para permitir aos soldados passar mais tempo em casa entre dois destacamentos, anunciou quinta-feira o almirante Michael Mullen.

O Pentágono tinha fixado como objectivo elevar para dois anos "o tempo de pausa" passado em casa por cada ano destacado no terreno.

O corpo de fuzileiros vai atingir este objectivo no próximo ano, declarou o mais alto graduado norte-americano, o almirante Michael Mullen.

PUB

Mas "para o exército de Terra isso vai ainda levar alguns anos para acontecer", acrescentou.

Os comandantes tentaram aligeirar a pressão sobre o exército de Terra e sobre os fuzileiros, numa altura em que aumentam cada vez mais as taxas de depressão, divórcio e suicídio, provocadas por destacamentos repetidos.

As associações de antigos combatentes pressionaram a administração para aumentar "os tempos de pausa" e os estudos efectuados pelo Pentágono mostraram que os soldados que passam mais tempo em casa entre dois destacamentos têm menos problemas de saúde mental.

Para responder ao aumento das necessidades de homens e reduzir a pressão, o Pentágono aumentou os efectivos do exército de Terra e dos fuzileiros.

Em Julho, o secretário da Defesa Robert Gates anunciou um aumento temporário de 22 mil soldados para responder às necessidades de tropas.

Antes deste anúncio, o exército de Terra contava com 547 mil soldados activos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG