O Jogo ao Vivo

Vacina

Regulador eslovaco com dúvidas sobre a segurança da Sputnik V

Regulador eslovaco com dúvidas sobre a segurança da Sputnik V

Depois de ter recebido mais 200 mil doses da Sputnik V no início de março, a Agência do Medicamento da Eslováquia diz agora não ter informações suficientes para avaliar benefícios e riscos. A Eslováquia foi o segundo país da União Europeia a comprar a vacina russa, mesmo sem autorização do regulador europeu.

Depois de avaliar a eficácia e a segurança do fármaco russo, a o regulador do medicamento eslovaco (SUKL) admitiu não conseguir chegar a uma conclusão sobre os benefícios e riscos da vacina para as pessoas. A informação chegou depois de as autoridades do país terem examinado a documentação disponível, inspecionado as instalações de produção e concluído 11 dos 14 testes laboratoriais previstos.

A decisão deveu-se "à falta de dados, à inconsistência das formas de dosagem e também à impossibilidade de comparar mutuamente os lotes utilizados em vários estudos e países", disse o SUKL à Sky News.

PUB

Acordo com a Rússia desencadeou crise

Apesar de a Agência Europeia do Medicamento (EMA) ainda não ter aprovado a Sputnik V, a Eslováquia surpreendeu tudo e todos, no início de março, ao seguir os passos da Hungria e ao comprar a vacina russa, assinando com a Rússia um acordo para dois milhões de doses.

A negociação secreta desencadeou uma crise política no país, levou à demissão de seis ministros, à saída do primeiro-ministro, Igor Matovic, e a uma remodelação no governo de coligação composto por quatro partidos de direita.

A Eslováquia justificou o acordo com a Rússia com os resultados publicados na revista médica "The Lancet", que davam conta de uma taxa de eficácia da vacina de 91,6% no combate aos sintomas da covid-19, que a colocava assim entre as mais eficazes do mercado.

Quando questionada sobre a possibilidade de o lote de vacinas que recebeu não ser o mesmo utilizado no ensaio da revista científica, o SUKL aptou por não responder.

As autoridades russas já reagiram e, através do Twitter oficial da Sputnik V, garantem que os relatos anónimos que indicam que a vacina comprada pela Eslováquia é diferente da que foi testada em ensaios clínicos "são falsos". "Infelizmente, esperamos também mais notícias falsas e provocações de inimigos do Sputnik V na Eslováquia que tentam minar a vacina", pode ler-se.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG