Nova Zelândia

Residentes de Auckland regressam às ruas após confinamento

Residentes de Auckland regressam às ruas após confinamento

Os residentes da cidade mais populosa da Nova Zelândia, Auckland, puderam regressar esta segunda-feira às ruas após uma medida de contenção imposta a 12 de agosto na sequência do ressurgimento da covid-19 na cidade.

As escolas e empresas em Auckland, que tem uma população de 1,7 milhões de habitantes, abriram as suas portas com algumas restrições.

O uso de máscara é obrigatório nos transportes públicos para pessoas com mais de 12 anos.

"Todos nos sentimos um pouco cansados. Estamos nisto desde o final de fevereiro. No mundo inteiro é o mesmo, mas em comparação, aqui estamos a ir bem. Vamos ultrapassar isto novamente se todos fizerem a sua parte", disse a primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Ardern.

A Nova Zelândia chegou a estar mais de 100 dias sem registar qualquer caso da covid-19, mas, no início do mês, surgiu um surto em quatro membros de uma família.

Esta segunda-feira, o país registou nove infeções, cinco das quais por transmissão local e quatro detetadas em centros de quarentena.

Desde o início da pandemia, a Nova Zelândia totalizou 1.387 infeções e 22 mortes, segundo o Ministério da Saúde do país, que ainda não descobriu a origem misteriosa do surto em Auckland.

PUB

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 843 mil mortos e infetou mais de 25 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG