Presidenciais

Resultados das eleições na Guiné-Bissau revelados na quarta-feira

Resultados das eleições na Guiné-Bissau revelados na quarta-feira

Os resultados provisórios da segunda volta das eleições presidenciais da Guiné-Bissau, que decorreu este domingo, serão anunciados na quarta-feira pela Comissão Nacional de Eleições.

Em declarações aos jornalistas para fazer um balanço do ato eleitoral, sem direito a perguntas, Felisberta Vaz, porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE), desmentiu "informações levianas" que estão a correr nas redes sociais "relativamente à tentativa de fraude eleitoral".

"Aproveito aqui para apelar à tolerância, serenidade e sentido de responsabilidade de todas as candidaturas, órgãos de comunicação social e outros implicados neste ato nobre, uma conduta cívica", defendeu a porta-voz da CNE, que lembra o "apanágio e a imagem histórica" da instituição na administração de processos eleitorais.

A responsável disse ainda que a CNE não pode compactuar com "falácias, intrigas e outros males que tendem a desvirtuar os seus propósitos" e que toda a sua atuação é baseada na lei "e não na vontade expressa de terceiros".

A instituição eleitoral apela à calma, serenidade e vigilância "contra manobras atentatórias e a vã tentativa de comprometer" o processo.

Exortou ainda a comunicação social a abster-se de divulgar os resultados eleitorais, lembrando que essa competência é exclusiva da Comissão Nacional de Eleições.

"Aparentemente tudo correu bem"

O chefe da missão de observação eleitoral da União Africana às eleições presidenciais da Guiné-Bissau, Rafael Branco, disse, após o encerramento das urnas, que "aparentemente tudo correu bem" e agora há que esperar pelos resultados.

"Aparentemente tudo correu bem, sem incidentes e problemas de qualquer tipo. É a continuação dos bons sinais que o povo guineense nos envia pela ocasião das eleições. Agora vamos esperar", disse o antigo primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe.

Rafael Branco assistiu ao encerramento das urnas numa mesa de assembleia de voto no bairro de Cuntum, em Bissau.

Mais de 760 mil guineenses foram este domingo chamados às urnas para escolherem o próximo presidente da Guiné-Bissau entre Domingos Simões Pereira, candidato do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), e Umaro Sissoco Embaló, candidato do Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15).

Outras Notícias