Eleições em Angola

Resultados oficiais dão 51,17% dos votos ao MPLA

Resultados oficiais dão 51,17% dos votos ao MPLA

João Lourenço, líder do Movimento Popular para a Libertação de Angola, foi reeleito Presidente de Angola por mais cinco anos. Os partidos têm 72 horas para contestar os resultados no Tribunal Constitucional - que terá, também, 72 horas para responder.

A Comissão Nacional Eleitoral de Angola (CNE) anunciou esta segunda-feira os resultados oficiais das eleições presidenciais, confirmando a maioria do Movimento Popular para a Libertação de Angola (MPLA) - que contabilizou um total de 3.209.429 votos válidos, permitindo-lhe eleger 124 deputados, o equivalente a 51,17% do hemiciclo parlamentar.

O partido líder da Oposição, a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), somou, por sua vez, 2.756.786 votos válidos, que representam 90 deputados - uma ocupação de 43,95% da assembleia.

PUB

O Partido de Renovação Social (PRS) obteve 71.351 votos válidos (1,14%), tendo direito a eleger dois deputados. A Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) conseguiu o mesmo número de lugares no parlamento, com 66.337 votos (1,06%). Já o Partido Humanista de Angola (PHA) arrecadou 63.749 votos (1,02%) e pode, também, eleger dois deputados.

Mais de metade dos eleitores não votou

Os resultados definitivos foram anunciados esta segunda-feira depois de uma sessão plenária com os membros da Comissão Nacional Eleitoral. A ata do resultado final das eleições já tinha sido aprovada, numa reunião que decorreu esta madrugada, tendo já sido apurado que o MPLA arrecadou mais de metade dos votos reclamados.

Às 26488 mesas de voto em Angola, distribuídas em 164 municípios do país, e às 45 no estrangeiro deslocaram-se 6.454.109 eleitores - 44,82% do total de 14.399.391 cidadãos registados para votar.

Destes dados, sobressai a abstenção: 7.945.282 pessoas não votaram nestas eleições, o equivalente a 55,18%. Existem, ainda, 107.746 votos em branco (1,67%) e 74.259 votos nulos (1,15%). Os votos válidos totalizam, assim, em 6.272.104 - representando 97,18%.

Na sexta-feira, a UNITA contestou a vitória do MPLA, anunciada no dia anterior, e disse estar a desenvolver uma contagem de votos paralela, com base nas atas síntese provenientes das 18 províncias do país. A queixa da Oposição, onde pedia a divulgação dos resultados provisórios pela CNE, foi rejeitada no próprio dia. "O requerimento foi apresentado de forma irregular" e a "fundamentação jurídica não estava de acordo com o que a lei estabelece", defendeu o mesmo órgão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG