Pandemia

Reuniões de mais de 10 pessoas proibidas em França após fim da quarentena

Reuniões de mais de 10 pessoas proibidas em França após fim da quarentena

A concentração de mais de 10 pessoas, os casamentos civis e as celebrações religiosas estão interditas em França até 2 de junho, enquanto festivais, eventos desportivos ou salões profissionais só regressam em setembro.

"Temos de evitar as aglomerações que são ocasiões de propagação do vírus. Assim, os ajuntamentos organizados na via pública ou em sítios privados ficam limitados a 10 pessoas", afirmou o primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, ao anunciar o plano do fim da quarentena na Assembleia Nacional.

O governante francês detalhou, esta terça-feira, o plano do fim do confinamento em França que vai começar a 11 de maio, mas com medidas restritivas até pelo menos 2 de junho.

Volta a ser possível praticar livremente desporto ao ar livre, mas os ginásios permanecerão fechados e estão proibidos todos os desportos de contacto.

Os parques e jardins, encerrados em muitas cidades franceses, devem permanecer fechados nas regiões mais atingidas pelo vírus, com as praias a reabrirem possivelmente em junho.

Grandes aglomerações que juntem mais de cinco mil pessoas só vão ser possíveis a partir de setembro. Assim, a época de desporto profissional, especialmente futebol, não vai ser reatada.

PUB

Outros eventos como festivais e salões profissionais também só vão voltar em setembro.

Pequenas mediatecas, bibliotecas e museus, em que seja possível respeitar as regras de segurança, podem ser reabertas. Mas grandes museus, cinemas e teatros vão continuar fechados.

Os casamentos civis não vão ser possíveis até início de junho.

Lugares de culto vão continuar abertos, mas sem celebrações. Os funerais continuam a ser possíveis com 20 pessoas no máximo e os cemitérios vão passar a estar abertos.

O primeiro-ministro vai voltar a falar ao país no fim de maio para reavaliar as medidas agora anunciadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG