Operação

Revelados detalhes do resgate de crianças presas em gruta na Tailândia

Revelados detalhes do resgate de crianças presas em gruta na Tailândia

O governo tailandês divulgou detalhes sobre o plano de resgate das vítimas presas numa gruta no norte da Tailândia, que começou este domingo e poderá estender-se até quatro dias.

As autoridades do país revelaram um gráfico explicativo sobre a forma como as crianças e o adulto presos há 15 dias na gruta de Tham Luang, na província de Chiang Rai vão sair. A missiva explica que, em cada resgate, dois mergulhadores, equipados com botijas de ar e máscaras faciais, vão mergulhar juntos e retirar apenas uma pessoa, que, por sua vez, será ligada por uma corda aos socorristas.

Segundo o governo, apesar de requerer "competências de alto nível dos mergulhadores", a operação pode ser feita com relativa rapidez e sem necessidade de usar muitos recursos. É importante salientar que o tempo urge, uma vez que as chuvadas que se registam na região podem adensar as inundações na gruta. Os rapazes presos devem ter "capacidade para mergulhar", "mente forte" e não devem "entrar em pânico".

Segundo o governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osottanakorn, os mergulhadores de elite - 13 estrangeiros e cinco tailandeses - entraram na gruta às 10 horas locais (4 horas em Portugal Continental). Está previsto que o primeiro jovem seja resgatado cerca das 21 horas (15 horas em Lisboa).

"Luta contra a água"

O major-general Chalongchai Chaiyakam afirmou, no entanto, que a operação de resgate de todas as vítimas pode demorar entre dois a quatro dias a ser levada a cabo, "dependendo das condições do tempo e da água". Uma repórter da BBC próxima do local (os jornalistas foram retirados da zona da entrada da gruta) deu conta da forte precipitação registada este domingo na zona, falando numa verdadeira "luta contra a água".

A única forma de retirar os jovens é por mergulho, através de passagens escuras e estreitas, cheias de água lamacenta e com fortes correntes, num ambiente já com pouco oxigénio.

No passado dia 23 de junho, depois de um jogo de futebol, os 12 rapazes, com idades entre os 11 e os 16 anos, e o respetivo treinador, de 25, foram explorar a gruta. As inundações resultantes das chuvas torrenciais bloquearam a saída e impediram que as equipas de resgate encontrassem o grupo durante nove dias.