Mundo

"Roleta sexual" é moda entre jovens colombianos

"Roleta sexual" é moda entre jovens colombianos

A roleta sexual é uma variação do "jogo da garrafa", em que a consequência não é um beijo ou outra multa mais ou menos arrojada, mas sim a ordem para penetrar a rapariga que está em frente quando o rapaz deixa de rodar. É moda na Colômbia, uma preocupação para os pais e para a saúde pública.

O jogo da garrafa já foi jogado, um pouco por todo o mundo, por muitos adolescentes. Mas, na Colômbia, adquiriu uma nova e perigosa dimensão. É transformado numa roleta sexual, com regras, poucas, simples, e bastante claras.

O jogo põe um rapaz a dançar no meio de uma roda de mulheres. Quando a música para, o homem penetra a mulher que está à frente, muitas vezes menor de idade. A regra principal é que quem ejacular é eliminado, por isso a penetração dura pouco tempo.

A prática, conhecida há cerca de um ano entre a juventude de Medellin, também registada na capital da Colômbia, Bogotá, foi denunciada pelo jornal local ADN, com o testemunho de uma rapariga que engravidou num desses jogos sexuais.

"Pensei que isso não podia acontecer, porque era por pouco tempo [a penetração]", disse a jovem. Conta o ADN que a prática se estende a muitas outras cidades e que os pais dos adolescentes estão destroçados.

Segundo dados da Secretaria de Saúde de Medellin, citados pelo diário espanhol "El Mundo", algumas das cerca de sete mil raparigas que engravidaram em 2011 dizem que a concepção aconteceu durante um destes jogos sexuais.

Além das gravidezes indesejadas, e dos abortos a que muitas recorrem, a prática acarreta risco acrescido de transmissão de doenças sexualmente transmissíveis.

Como acontece em tantas outras práticas extremas dos adolescentes, as raparigas dizem que aceitam participar na roleta sexual porque algumas amigas o fazem e porque não querem ser excluídas do grupo, se recusarem os pedidos dos rapazes.