EUA

Romney junta-se a Democratas. Senador republicano vota a favor da destituição de Trump

Romney junta-se a Democratas. Senador republicano vota a favor da destituição de Trump

O senador republicano Mitt Romney disse esta quarta-feira que votará pela demissão do Presidente dos EUA, aliando-se aos Democratas, mas o veredicto no julgamento político deverá absolver Donald Trump.

O Senado dos EUA vota esta quarta-feira, pelas 16 horas (21 horas em Portugal continental) o veredito do julgamento político do Presidente Donald Trump, sendo previsível que a maioria Republicana aprove a absolvição nas acusações de abuso de poder e de obstrução ao Congresso, apesar de algumas incógnitas e de alguns desalinhamentos partidários.

"O Presidente é culpado de um abuso terrível da confiança pública", disse esta quarta-feira Mitt Romney, ao anunciar que votará pela condenação do Presidente e referindo-se às pressões exercidas por Trump para que o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, investigasse a atividade da família de Joe Biden, rival democrata, junto de uma empresa da Ucrânia envolvida num caso de corrupção.

Mitt Romney deverá ser o único senador Republicano a votar pela condenação, já que parece manter-se a disciplina no partido para considerar que Trump não teve nenhuma atitude passível de 'impeachment', muito menos para justificar a sua remoção do cargo de Presidente.

"Sei que alguns membros do meu partido desaprovam a minha decisão e que, em certos círculos, serei denunciado vigorosamente", explicou Romney, que desde o início do julgamento político, há duas semanas, mostrou estar desalinhado com a estratégia do seu partido.

Romney justificou a sua decisão dizendo que, como pessoa "profundamente religiosa" se sente obrigado, pelo juramento que fez, "a administrar justiça de forma imparcial".

Seriam precisos 2/3 dos votos para que Trump fosse removido do cargo, o que parece altamente improvável perante a maioria Republicana no Senado (53-47) e pela possibilidade de alguns senadores Democratas votarem também pela absolvição.

Em aberto está ainda a hipótese, após a eventual absolvição, da votação de uma resolução para censurar o comportamento de Donald Trump.

A resolução de censura ao Presidente exprimiria a desaprovação formal da sua conduta, pelo Senado, mas não o removeria do lugar na Casa Branca, condição que agrada a vários senadores de ambas as bancadas parlamentares.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG