EUA

Roubou carrinha com 12 cães mas foi apanhado pela dona

Roubou carrinha com 12 cães mas foi apanhado pela dona

Uma comunidade de amantes de animais em Portland, nos Estados Unidos, conseguiu rastrear uma carrinha roubada e resgatar 12 cães que iam lá dentro.

A história é contada pelo jornal "The Washington Post". A carrinha foi roubada na terça-feira quando Sunni Liston, a proprietária da empresa de creche para cães Coopers Dogpatch, entregava o animal de um cliente.

Sunni, de 60 anos, contou ao "The Washington Post" que viu um homem entrar para o banco da frente da carrinha e arrancar em alta velocidade, porque ela havia deixado as chaves na ignição quando saiu do veículo para entregar um cão.

Além da carrinha, o ladrão levava um telemóvel, uma carteira e os 12 cães que estavam a ser transportados.

"Eu estava em pânico", afirmou Sunni numa entrevista àquele jornal, na quarta-feira, dizendo suspeitar que o homem roubou intencionalmente a carrinha para levar os 12 cães, incluindo o seu animal de estimação, Howard.

"A única coisa que faz sentido para mim é que eles fossem "dognappers" (sequestradores de cães) e sabiam o que estavam a fazer e já me tinham visto lá antes", explicou Sunni. "O meu pequeno estava no banco da frente, estava cheia de medo por ele".

A Coopers Dogpatch apanha cães de donos em Portland e leva-os para uma creche fora da cidade, onde os animais têm espaço para correr livremente e brincar.

PUB

Sunni disse ao Post que uma funcionária de raciocínio rápido usou uma aplicação de rastreio do iPhone para localizar o seu telemóvel, que estava dentro da carrinha.

Os "detetives amadores", como lhes chama o Washington Post, conseguiram localizar a carrinha num bairro que Sunni conhecia.

Sunni ligou para uma amiga que vive naquele bairro, que teria "largado tudo" para procurar a carrinha com os cães. A amiga finalmente encontrou-a e estacionou o carro atrás da carrinha, evitando a fuga do ladrão.

Quando a polícia chegou ao local, o ladrão já tinha fugido com a mala e a carteira de Sunni, com várias centenas de dólares. Mas tinha deixado os cães.

"Esses 40 minutos foram como as 10 horas mais longas da minha vida", lamentou Sunni.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG