Ucrânia

Rússia aumentará impostos alfandegários se Ucrânia se aproximar da UE

Rússia aumentará impostos alfandegários se Ucrânia se aproximar da UE

A Rússia vai aumentar os impostos alfandegários cobrados às importações da Ucrânia se o novo Governo de Kiev escolher aproximar-se da União Europeia, advertiu o ministro da Economia russo, numa entrevista a um jornal alemão.

"Dizemos à Ucrânia: vocês têm naturalmente o direito de escolher o vosso caminho. Mas, nesse caso, ver-nos-emos obrigados a aumentar os direitos aduaneiros das importações", disse o ministro da Economia russo, Alexei Uliukaev, ao diário alemão "Handelsblat", quando questionado sobre a eventual assinatura por Kiev de um acordo de associação com a UE.

Segundo o ministro, a medida é necessária para evitar que a Ucrânia se torne uma porta de entrada para uma "invasão" do mercado russo de produtos europeus.

O Governo interino ucraniano, formado após a destituição do presidente Viktor Ianukovich, já se manifestou favorável a uma aproximação à UE.

Segundo Alexei Uliukaev, a Ucrânia não pode continuar a ser um parceiro forte da Rússia e, simultaneamente, assinar um acordo de associação com a UE: "Uma coisa não é compatível com a outra".

O ministro russo lamentou, por outro lado, o impacto negativo na economia russa da crise na vizinha Ucrânia. "Muitos fundos de investimento retiram o seu dinheiro da Ucrânia e a maior parte retira-o imediatamente a seguir também da Rússia", disse, acrescentando ser para si "claro" que a Ucrânia vai enfrentar "uma recessão".

A crise política na Ucrânia teve origem na decisão de Ianukovich de suspender os preparativos para a assinatura de um acordo de associação com a UE e de integrar uma união aduaneira com a Rússia, Bielorrússia e Cazaquistão.

O porta-voz da chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que a UE continua disposta a assinar o acordo com a Ucrânia. "A porta continua aberta", disse.

Outros Artigos Recomendados