Conflito

Rússia diz que informação sobre acordo de paz é "factualmente incorreta"

Rússia diz que informação sobre acordo de paz é "factualmente incorreta"

A Rússia descreveu esta quinta-feira como "factualmente incorreta" a informação sobre um plano de paz que estaria a negociar com a Ucrânia, que previa um cessar-fogo, retirada das tropas russas e neutralidade ucraniana face à NATO.

O plano, de 15 pontos, foi divulgado pelo jornal britânico Financial Times na quarta-feira, citando três fontes envolvidas nas negociações em curso entre representantes da Ucrânia e da Rússia.

O porta-voz do Kremlin (Presidência russa), Dmitri Peskov, disse que o plano divulgado pelo jornal britânico "contém muitas compilações e informações que são do domínio público sobre as questões que estão na agenda" das negociações.

PUB

"Mas está tudo incorretamente compilado e factualmente incorreto. Há elementos corretos, mas em geral, isto não é verdade", disse Peskov, no seu encontro diário com a imprensa.

Peskov não precisou os pontos corretos e os incorretos, remetendo quaisquer informações para quando houver progressos nas negociações.

"O trabalho continua", acrescentou, citado pela agência espanhola EFE.

O Financial Times disse que os negociadores discutiram, na segunda-feira, um projeto de acordo que envolveria a renúncia da Ucrânia à adesão à NATO e a acolher bases militares estrangeiras em troca de proteção de países como os Estados Unidos, a Turquia e o Reino Unido.

O chefe da delegação ucraniana, o conselheiro presidencial Mykhailo Podoliak, disse na quarta-feira, na rede social Twitter, que o projeto de acordo divulgado pelo jornal britânico representa apenas as exigências da Rússia nas negociações.

"O lado ucraniano tem as suas próprias posições. A única coisa que confirmamos neste momento é [o diálogo sobre] um cessar-fogo, a retirada das tropas russas e garantias de segurança de vários países", escreveu.

Podoliak acrescentou que os resultados das negociações só poderão ser uma realidade quando forem validados num diálogo direto entre os presidentes ucraniano, Volodymyr Zelensky, e russo, Vladimir Putin.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG