Mundo

Rússia não fará guerra à Turquia, apesar de "provocação planeada"

Rússia não fará guerra à Turquia, apesar de "provocação planeada"

A Rússia "não vai fazer guerra" à Turquia, apesar do exército turco ter abatido um avião de guerra russo perto da fronteira síria, no que Moscovo admite ser uma "provocação planeada", declarou, esta quarta-feira, o chefe da diplomacia russa.

"Temos sérias dúvidas de que se trate de um ato espontâneo, parece muito uma provocação planeada", considerou Serguei Lavrov numa conferência de imprensa.

No entanto, "não faremos a guerra à Turquia, as nossas relações com o povo turco não mudaram", afirmou Lavrov, pouco depois do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ter declarado que o seu país "não tem qualquer intenção de provocar uma escalada após este caso".

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo disse ainda ter discutido durante "cerca de uma hora" com o seu homólogo turco, Mevlut Cavusoglu.

O ministro turco "tentou justificar as decisões da força aérea turca", afirmando que o avião russo "voou um total de 17 segundos no espaço aéreo turco", segundo Lavrov.

O caça-bombardeiro Su-24 russo foi abatido na terça-feira. Segundo Moscovo, um dos dois pilotos, que se conseguiram ejetar antes da queda do avião, foi morto por rebeldes sírios antes de chegar ao solo. O segundo conseguiu regressar à sua base graças a uma operação realizada por forças sírias e russas, durante a qual um soldado russo foi morto.