Guerra

Russos manifestam-se para apoiar referendos sobre anexação de territórios

Russos manifestam-se para apoiar referendos sobre anexação de territórios

Centenas de manifestantes juntaram-se, esta sexta-feira, em Moscovo e São Petersburgo para apoiar os "referendos" sobre a anexação de quatro regiões ucranianas pela Rússia, contestados por Kiev e seus aliados.

Em Moscovo, um ajuntamento ganhou forma perto do final da tarde, junto à Praça Vermelha, segundo imagens difundidas pela televisão russa, enquanto na Praça do Manege, uma multidão compacta manifestava-se diante da estátua do marechal Zhukov, um dos grandes líderes militares soviéticos durante a II Guerra Mundial.

Num palco instalado para a ocasião, representantes de vários partidos políticos russos estiveram presentes e revezaram-se para discursar em defesa dos "referendos" apoiados por Moscovo.

PUB

"Pela liberdade", "o início de uma nova história comum" ou "um momento histórico", foram 'slogans' utilizados.

Nas mãos de muitos participantes viam-se bandeiras russas estampadas com o "Z" da ofensiva na Ucrânia ou as fitas de São Jorge, com listas pretas e laranja, símbolo da vitória do Exército Vermelho sobre a Alemanha nazi.

"Não abandonaremos os nossos", slogan patriótico russo que se tornou em grito de guerra desde o final de fevereiro, também estava escrito em vários cartazes segurados pelos manifestantes, numa mensagem dirigida aos habitantes de língua russa das regiões de Donbass, Kherson e Zaporijia, que a Rússia afirma querer salvar.

Em São Petersburgo, várias centenas de manifestantes reuniram-se ao início da tarde junto à fortaleza de Pedro e Paulo, o 'coração' histórico da segunda cidade da Rússia, onde pessoas de várias idades se mostraram a favor dos "referendos".

Além de Moscovo e São Petersburgo, mais de 50 mil pessoas manifestaram-se, também, em Grozni, na Chechénia, de acordo com as autoridades locais.

Várias manifestações ocorreram também na Sibéria e no extremo oriente russo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG