VIH

Segundo infetado com vírus da sida está curado

Segundo infetado com vírus da sida está curado

O "doente de londres" como ficou conhecido, é um homem e está curado do vírus da sida após dois anos e meio de tratamento.

Cientistas do Reino Unido anunciaram esta terça-feira que o "doente de Londres" está curado do vírus da sida graças a um tratamento de transplante de células estaminais de um dador com gene resistente ao VIH.

Este transplante faz com que o vírus não se multiplique no organismo do infetado, isto porque as suas células imunitárias são substituídas pelas do dador. Radioterapia e quimioterapia são também utilizadas para eliminar o vírus.

Os cientistas concluíram que o paciente já não tem uma infeção viral, e verificaram-no em amostras de sangue, líquido cefalorraquidiano, sémen, tecido intestinal e linfoide. Como o doente tem 99% das suas células imunitárias derivadas das que foram transplantadas, os cientistas concluíram que o transplante foi bem-sucedido.

"Sugerimos que estes resultados representem o segundo caso de uma pessoa com VIH a ser curada. Os resultados mostram que o sucesso do transplante de células estaminais como cura para o VIH, relatado pela primeira vez há nove anos no 'doente de Berlim', pode ser replicado", afirmou, citado em comunicado pela The Lancet, o coordenador do estudo experimental, Ravindra Kumar Gupta, da Universidade de Cambridge.

Este tratamento é de risco elevado e só deverá ser utilizado em último recurso e em doentes com o vírus da sida que têm cancro no sangue.

"Por isso, não é um tratamento que possa ser amplamente dado a infetados com o VIH que estão a responder com sucesso a um tratamento antirretroviral", sublinhou Ravindra Kumar Gupta.

Apesar dos resultados positivos, o "doente de Londres" continuará a ser acompanhado, mas com menos frequência.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG