O Jogo ao Vivo

Bielorrússia

Seis anos de prisão para namorada de jornalista preso em avião desviado por Minsk

Seis anos de prisão para namorada de jornalista preso em avião desviado por Minsk

Um tribunal da Bielorrússia condenou, esta sexta-feira, a seis anos de prisão a namorada de um jornalista bielorrusso, quase um ano depois de terem sido detidos num avião comercial desviado para Minsk por um caça de combate.

Sofia Sapega, de nacionalidade russa, foi detida em 23 de maio de 2021, quando viajava da Grécia para a Lituânia com Roman Protasevitch num avião da Ryanair que foi obrigado a aterrar em Minsk pelas autoridades bielorrussas.

Sapega irá cumprir a pena numa "colónia correcional geral", anunciou o Supremo Tribunal da Bielorrússia num comunicado.

PUB

O tribunal considerou-a culpada de incitamento ao ódio social e recolha ilegal de dados pessoais, entre outras acusações, segundo a agência francesa AFP.

O julgamento decorreu no tribunal regional de Grodno, 300 quilómetros a oeste de Minsk, perto da fronteira da Bielorrússia com a Polónia e a Lituânia.

A agência russa TASS acrescentou que Sapega foi levada sob custódia após a leitura da sentença e tem um prazo de 10 dias para recorrer da decisão do tribunal.

Sapega, 24 anos, e Protassevich, de 27, foram detidos em 23 de maio de 2021, depois do avião em que viajavam de Atenas para Vilnius ter sido desviado e forçado a aterrar no aeroporto de Minsk por um caça MiG-29 bielorrusso.

A Bielorrússia alegou que intercetou o avião após receber uma "ameaça de bomba", mas uma investigação de uma agência da ONU concluiu que era "deliberadamente falsa".

O desvio do avião comercial foi condenado pela União Europeia (UE) e pela generalidade da comunidade internacional.

Após terem sido detidos, tanto Protasevich, que vivia fora da Bielorrússia desde 2019, como Sapega apareceram em vídeos a afirmar que tinham confessado os seus alegados crimes, mas os seus apoiantes denunciaram que o fizeram sob coação.

Protasevich é um antigo editor-chefe do Nexta, um canal online que desempenhou um papel de liderança na onda de protestos contra a reeleição do presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, em 2020.

Lukashenko, um aliado do regime do presidente russo, Vladimir Putin, tem governado a Bielorrússia com "mão de ferro" desde 1994.

Protasevich está em prisão domiciliária na Bielorrússia à espera de julgamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG