Médio Oriente

Seis palestinianos mortos em confrontos com exército israelita

Seis palestinianos mortos em confrontos com exército israelita

Pelo menos seis palestinianos morreram e mais de 10 ficaram feridos hoje em confrontos com o exército israelita em Ramallah, na Cisjordânia, anunciaram o Ministério da Saúde local e o Crescente Vermelho.

Os confrontos tiveram início quando vários palestinianos começaram a atirar pedras a soldados de Israel em várias localidades da região de Ramallah, tendo uma das mortes acontecido quando um cidadão local tentou apunhalar um militar israelita.

Os incidentes ocorreram em paralelo a um dia de protestos palestinianos que já deixou mais de uma centena de feridos, também de acordo com um novo relatório do Ministério da Saúde palestiniano e Crescente vermelho.

Os confrontos têm como pano de fundo uma escalada militar sem precedentes desde 2014 entre Israel e o movimento palestino Hamas, dentro e em redor da Faixa de Gaza, e violência em cidades mistas de árabes e judeus israelitas.

Os protestos estão a decorrer hoje em várias cidades palestinianas na Cisjordânia, como Nablus, Qalqilya, Tulkarm e Jenin no norte, e Hebron no sul.

À tarde, dois palestinianos, feridos com munições reais nas aldeias de Marda e de Skaka, na Cisjordânia ocupada ao norte, morreram devido aos ferimentos.

Um terceiro foi morto antes pelo exército perto de Jenin, enquanto um quarto homem abatido a tiro perto do colonato israelita de Ofra, após tentar atacar os soldados aí estacionados, segundo o exército.

PUB

Nas manifestações foram também denunciados os ataques israelitas no enclave palestiniano de Gaza, que começaram na segunda-feira em resposta a disparos de foguetes.

A Cisjordânia é um território palestiniano ocupado desde 1967 por Israel, separado do enclave de Gaza por território israelita.>

Cerca de 475.000 colonos israelitas vivem na Cisjordânia, lar de mais de 2,8 milhões de palestinianos.

Os atuais combates provocaram já mais de uma centena de mortos, maioritariamente do lado palestiniano, e são considerados os mais graves desde 2014.

Os combates começaram em 10 de maio, após semanas de tensões entre israelitas e palestinianos em Jerusalém Oriental, que culminaram com confrontos na Esplanada das Mesquitas, o terceiro lugar sagrado do Islão junto ao local mais sagrado do judaísmo.

Ao lançamento maciço de foguetes por grupos armados em Gaza em direção a Israel opõe-se o bombardeamento sistemático por forças israelitas contra a Faixa de Gaza.

O conflito israelo-palestiniano remonta à fundação do Estado de Israel, cuja independência foi proclamada em 14 de maio de 1948.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG