Alemanha

"Semáforo" deixa passar acordo para formar Governo alemão

"Semáforo" deixa passar acordo para formar Governo alemão

Sociais-democratas, verdes e liberais estabelecem bases para futuro Executivo alemão. Aliança comprometeu-se a antecipar o fim do uso do carvão e revelou que não irá aumentar impostos.

A ambição do social-democrata Olaf Scholz, provável futuro chanceler alemão, é formar governo até dezembro. Algo que parecia impensável, tendo em conta a demora dos anteriores governos em constituir executivo. Mas Scholz parece ser fiel tendo anunciado, ontem, que o SPD, o seu partido, os Verdes e os Liberais do FDP chegaram a um acordo preliminar para formar Governo.

"Efetivamente conseguimos chegar a um acordo. É um resultado muito bom, mostra claramente que pode ser formado um Governo na Alemanha", afirmou Scholz, cujo partido foi o mais votado nas eleições legislativas alemãs de 26 de setembro, numa declaração à imprensa feita em conjunto com dirigentes dos partidos ecologista, Annalena Baerbock e Robert Habeck, e liberal, Christian Lindner. Juntos formam a coligação "semáforo" (nome atribuído pela junção das cores dos três partidos).

O acordo foi adotado na ronda de negociações eleitorais preliminares e terá de ser submetido no fim de semana à análise dos congressos dos Verdes e dos liberais.

"É um acordo muito bom, necessário para levar a cabo a modernização de que a Alemanha tanto precisa", disse Scholz. "Para mim é muito importante destacar que temos conseguido ter essas conversas sempre com espírito construtivo", acrescentou o líder social-democrata.

Já Baerbock definiu o que foi acordado como "o alicerce" de um acordo que agora será submetido ao partido. "Finalmente foi apresentada uma proposta conjunta de uma coligação de reforma e progresso que usaremos na próxima década para uma renovação real", escreveu a ecologista na sua página da rede social Twitter.

"Maior modernização"

PUB

Depois de semanas de exaltação e de saudosismo da era Merkel, os três partidos mostraram-se ontem prontos para virar a página. No acordo preliminar com o objetivo de formar novo governo, está assente que a aliança quer apostar no "despertar digital" do país transformando e modernizando o sistema burocrático, escreve a publicação "Dier Spiegel".

As formações deixaram também claro que a proteção do clima é um ponto importante no acordo e comprometeram-se com a antecipação do fim do uso de carvão na Alemanha, uma das grandes metas deixadas por cumprir pela chanceler que deixa agora o cargo.

Além disso, revelaram que os impostos não serão aumentados e que os limites de endividamento público serão respeitados. "Será o maior projeto de modernização industrial que a Alemanha provavelmente realizou em mais de 100 anos", garantiu Scholz.

Os três partidos, com programas muito diferentes, vão aprofundar as conversas e iniciar negociações oficiais que abordarão, ponto a ponto, todos os detalhes da futura aliança. Caso as negociações avancem da maneira desejada, a Alemanha poderá ter um governo antes do fim do ano.

"Os últimos dias foram marcados por um estilo diferente, com conversas em que os três participantes agiram com total discrição", disse Lindner, aludindo à anterior tentativa de formar um acordo tripartido entre conservadores, liberais e verdes, promovida pela ainda chanceler, Angela Merkel, em 2017, mas que fracassou quando o projeto foi abandonado pelo Partido Democrático Liberal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG