Venezuela

Senadores norte-americanos pedem sanções contra a Venezuela

Senadores norte-americanos pedem sanções contra a Venezuela

O senador democrata Bob Menéndez e o republicano Marco Rubio apresentaram na quinta-feira uma resolução no Senado norte-americano contra "a repressão violenta das manifestações pacíficas na Venezuela" e pediram sanções contra o Governo de Nicolás Maduro.

"Esta ação envia uma mensagem inequívoca a condenar a violência perpetrada contra os venezuelanos inocentes pelo Presidente Maduro, as forças de segurança venezuelanas e os simpatizantes armados do Governo", disse Menéndez.

No entender do senador, este é o momento de aplicar "uma série de sanções específicas e imediatas" e de "congelar os bens dos funcionários venezuelanos cúmplices na morte de manifestantes pacíficos".

O presidente do Comité das Relações Externas do Senado norte-americano insistiu que "os violadores dos direitos humanos devem prestar contas pelos que cometeram e que não são bem-vindos" aos Estados unidos.

"Ao povo da Venezuela está a ser negado os direitos e liberdades básicas, como também a sua capacidade de protestar pacificamente contra as terríveis circunstâncias económicas causadas pelo Presidente Maduro e o seu Governo", acrescentou o democrata de New Jersey.

Menéndez expressou solidariedade para com o povo venezuelano e os "valentes líderes da oposição que buscam construir uma Venezuela com mais esperança e futuro".

Por seu lado, Rubio defendeu que Maduro e seus seguidores devem prestar contas pelas "atrocidades cometidas contra o povo da Venezuela", designadamente detenções ilegais, repressão violenta e matança de manifestantes inocentes.

"Esta resolução pede ao Presidente Obama para impor sanções imediatas à Venezuela e a apoiar um processo de diálogo entre o Governo venezuelano e a oposição política.

O republicano da Florida reiterou que o "povo venezuelano está a lutar e a sacrificar-se pela liberdade e pelos direitos humanos".

A resolução apela ao Governo de Maduro que desarme as milícias pró-governamentais e permita uma investigação imparcial sobre os factos que causaram a morte a mais de uma dezena de pessoas e ferimentos em centenas de outras.

Nas últimas duas semanas, a Venezuela tem sido cenário de marchas e protestos contra e a favor do Governo e Nicolás Maduro.