Mundo

Septuagenário matou cinco pessoas nos EUA

Septuagenário matou cinco pessoas nos EUA

Um homem de 73 anos matou cinco pessoas, incluindo o advogado da ex-mulher, e depois suicidou-se. Aconteceu em Yuma, no Arizona, nos EUA.

O suspeito dos crimes foi identificado, pela polícia de Arizona, como Carey Hal Dyess, de 73 anos. Foi encontrado morto, num carro, a cerca de 30 quilómetros da cidade de Yuma, local em que terá assassinado cinco pessoas.

"Não foi um acto aleatório. Estas vítimas foram escolhidas", disse Jerry Geier, chefe da polícia de Yuma, citado pela Associated Press (AP).

O advogado Jerrold Shelley foi assassinado no próprio escritório, enquanto arrumava o local, naquele que seria o último dia de trabalho antes da reforma, contou uma amiga.

Shelley representou Dyess no divórcio, o quinto da vida do septuagenário, em 2006. "O atacante entrou e disse à secretária para sair. Ela saiu e ele disparou sobre Jerry Shelley", contou, também à AP, Vida Florez, advogada de Yuma e amiga de Shelley.

O corpo de Dyess foi encontrado às 10.47 horas de quinta-feira (18.47 horas em Portugal continental), cerca de cinco horas depois do primeiro tiroteio, que causou um ferido grave.

O corpo das outras quatro vítimas foram encontrados no espaço de duas horas, em áreas diferentes da cidade de Yuma. Não é claro onde nem quando foi localizado o quinto cadáver.

Duas das vítimas, um homem e uma mulher, foram encontradas mortas às portas de uma quinta, em Welton, localidade na qual Dyess tinha um processo civil e um juiz tinha emitido uma ordem de protecção contra o suspeito, num caso de 2006, segundo fontes judiciais citadas pela AP.

Outras Notícias