Ambiente

"Ser diferente não é doença"

"Ser diferente não é doença"

A ativista sueca Greta Thunberg reagiu, esta quarta-feira, a quem a criticou pelo discurso na passada segunda-feira, durante uma cimeira na ONU, em Nova Iorque.

"Tal como devem ter notado, os críticos sempre muito ativos, estão atrás de mim, do meu aspeto, da minha roupa, do meu comportamento e das minhas diferenças. Eles vêm com tudo o que se possa pensar e com teorias da conspiração", escreveu a jovem no Twitter.

"Ser diferente não é uma doença e a ciência atual não são opiniões. Honestamente, não compreendo como que é adultos preferem gastar o seu tempo a gozar com adolescentes e ameaçar crianças por promoverem a ciência", explicou.

Discurso duro na segunda-feira

A jovem ativista sueca Greta Thunberg criticou esta segunda-feira os líderes mundiais pela inação face às alterações climáticas e acusou-os de lhe roubarem os sonhos e a infância. "Vocês deixaram-nos cair. Mas os jovens começam a compreender a vossa traição", disse Greta Thunberg perante vários chefes de Estado, acrescentando: "Se vocês decidiram deixar-nos cair, eu digo-vos: nós nunca vos iremos perdoar. E não deixaremos que vocês se vão embora assim". "O mundo está a acordar e a mudança a chegar, quer vocês gostem ou não. Obrigado", concluiu a jovem, muito aplaudida.

PUB

O dramático apelo da jovem ativista Greta Thunberg correu o Mundo e deixou uma marca na cimeira da ONU sobre o clima, segunda-feira, em Nova Iorque. Mas Trump viu algo que mais ninguém viu. "Parece uma rapariga muito feliz, esperançada num brilhante e maravilhoso futuro. Tão bonito de ver", escreveu o presidente dos EUA na conta pessoal de Twitter.

Outras Notícias