Síria

Confirmado uso de gás sarin antes do ataque a Khan Sheikhun

Confirmado uso de gás sarin antes do ataque a Khan Sheikhun

O agente neurotóxico sarin foi usado no noroeste da Síria em março, cinco dias antes do ataque a Khan Sheikhun, que fez mais de 80 mortos, confirmou o diretor da Organização para a Proibição de Armas Químicas.

"A análise das amostras recolhidas [pela OPAQ] relaciona-se com outro acontecimento ocorrido na parte norte da Síria a 30 de março deste ano", disse Ahmet Üzümcü numa entrevista à agência France-Presse.

"Os resultados mostram a existência de sarin", disse, acrescentando não saber muito sobre esse ataque: "Fala-se de 50 pessoas feridas, não se fala de mortos".

Cinco dias depois, a 4 de abril, um ataque com armas químicas a Khan Sheikhun, uma pequena localidade da província de Idlib controlada por rebeldes e jiadistas, fez mais de 80 mortos e desencadeou um ataque dos Estados Unidos com 59 mísseis de cruzeiro contra a base aérea de onde terão partido os aviões com o agente químico.

O ataque anterior, em Al-Lataminah, cerca de 20 quilómetros a sul de Khan Sheikhun, foi determinado a partir de análises a roupas, elementos metálicos e terra enviados para os laboratórios da OPAQ, cujos resultados ficaram prontos "há alguns dias", segundo Üzümcü.

"É preocupante ter havido uma utilização ou exposição ao sarin antes do incidente de 04 de abril", que era considerado o primeiro ataque químico na Síria desde 2013.

Em setembro, investigadores da ONU afirmaram pela primeira vez, num relatório sobre a situação de direitos humanos na Síria, que o governo de Bashar al-Assad era responsável.

Damasco recusa, assegurando não usar armas químicas contra o seu povo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG